A província conta com oito aviários sendo dois na Humpata e seis no Lubango, com capacidade instalada de 124 mil galinhas, mas devido à crise financeira, apenas 58 mil e 30 galinhas estão a produzir, mas ainda assim os avicultores continuam engajados em aumentar a oferta do ovo.
Em declarações à Angop, o chefe do departamento de pecuária do gabinete provincial da agricultura, Samo Daniel, referiu que apesar das dificuldades a actividade na Huíla hoje está a despertar o interesse privado, sendo crescentes os sinais de intenção na produção de ovos de frango de corte.
Segundo o responsável, a actividade é de capital importância para o processo de diversificação da economia, pois o ovo faz parte da dieta das famílias.
Apontou a existência de muitos jovens interessados na actividade, mais estão descapitalizados, pelo que é necessário que os bancos comerciais financiem esses projectos, já que as unidades de produção de ovos existentes funcionam graças a investimentos sem financiamento bancário.
“Gostaríamos que mais interessados e empreendedores enveredassem na área da produção, com objectivo de no futuro diminuirmos as importações fundamentalmente do exterior do país”.
Samo Daniel disse que o sector tem prestado apoios em termos de assistência técnica aos avicultores, pois periodicamente os técnicos deslocam-se para os aviários e assistem as unidades em termos sanitários, diagnóstico de doenças.