As províncias do Moxico e da Lunda- Sul vão beneficiar de energia eléctrica, a partir da barragem do rio Tchihumbue, município do Dala, província da Lunda-Sul. A iniciativa é do Executivo angolano, iniciado há 29 anos por uma construtora cubana e que por motivos do conflito armado que assolou a região e o país em geral, não foi possível terminar o projecto.
Para dar o corpo à execução deste ambicioso projecto, o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges procedeu recentemente naquela localidade, o lançamento da primeira pedra para o arranque das obras, ladeado pelos governadores do Moxico e da Lunda-Sul, João Ernesto dos Santos “Liberdade” e Cândida Narciso, respectivamente.
O projecto será executado num período de 28 meses, pela empresa chinesa Sinohidro, com investimento de cerca de 971 mil milhões de kwanzas e terá capacidade para fornecer 12,42 mega watts de energia.

Beneficios

Na ocasião, o ministro da Energia e Águas disse que o aproveitamento hidroeléctrico do Tchihumbue é uma promessa do Chefe do Executivo, aquando da sua última deslocação às duas províncias.
João Baptista Borges lembrou que o Executivo está a desenvolver um importante plano nacional de desenvolvimento, que estabelece acções a serem levadas a cabo até 2017, sob o lema central “Angola a crescer mais e distribuir melhor”.

Consta do plano, a construção, reabilitação e a ampliação das infra-estruturas, com destaque para o sector da energia eléctrica e águas, principais fontes do desenvolvimento do país.

“O projecto do lançamento da primeira pedra da hidroeléctrica do Tchihumbue vai reduzir significativamente a pobreza e vai diminuir as preocupações da população da região no que toca ao fornecimento da energia eléctrica domiciliar, principalmente A importante infra-estrutura está avaliada em mais de 971 mil milhões de kwanzas e vai dinamizar a actividade económica das províncias da Lunda-Sul e do Moxico Barragem do Tchihumbue será erguida em 28 mesesno casco urbano”, sublinho o titular da pasta, depois de ter apelado ao empreiteiro a cumprir os prazos contratuais da obra.
 
Projectos
 
A barragem do Tchihumbue possuirá uma altitude de 496, 20 metros, com uma bacia hidrográfica de 2.100 quilómetros quadrados. O escoamento médio anual é de 17,2 metros cúbicos (m3) e um caudal de ponta com 375 m3. A hidroeléctrica vasi ter um nível de tensão e substensão de 110/15 ks, com único circuito, potência de 20 megawatts, linha de transporte de 103 quilómetros, escavação de 1.786 m3, desmonte de rocha de 1.768 m3, betonagem de 2.277, 8 m3, revestimento e pintura 648.8 metros quadrados.

As principais quantitativas da obra a executar correspondem ainda aos trabalhos de armadura de 13,3 quilogramas (kg), chapa de aço, 24,5 kg com tratamento da superfície de betão de 608 metros quadrados.

O projecto compreende ainda características técnicas, construção de um açude de derivação, circuito hidráulico, tomada de água, condutas forçadas, linha de transportação e central hidroeléctrica.

 Acções

Está em curso, um plano de desenvolvimento de curto prazo, para as províncias do Moxico, Lundas Sul e Norte, que visam o reforço da capacidade de produção de energia eléctrica. Está a ser instalado uma central na província da Lunda- Norte, com a capacidade para gerar 30 megawatts.

No plano nacional de desenvolvimento, indicou, consta também o reforço à capacidade de produção de energia eléctrica na cidade do Saurimo (Lunda-Sul) com a instalação de mais cinco megawatts, bem como 7,5 megawatts para a cidade do Luena (Moxico), a ser levado a cabo a curto prazo, para colmatar o défice energético existente.

 Central de Luatchimo

As acções de médio prazo contemplam a reabilitação da central hidroeléctrica do Luatchimo, que prevê uma instalação de capacidade de 36 megawatts. A execução deste projecto, realçou, fará face às necessidade do consumo não só da população do Dundo (Lunda-Norte) e outros municípios, bem como a segunda central de hidrochikapa que vai duplicar mais 14 megawatts para a produção eléctrica para a cidade do Saurimo.

Satisfação

Para o governador do Moxico, João Ernesto dos Santos “Liberdade”, o programa do governo para os próximos cincos anos prioriza o sector energético, tendo referido que a região Leste vai beneficiar do fornecimento de energia com maior qualidade e contribuir no rápido desenvolvimento.

O governante sublinhou que a hidroeléctrica do Tchihumbue é uma infra-estrutura de grande impacto social e económico e surge numa altura em que o Leste do país ainda denota grandes dificuldades neste sector. Para o economista Hélder Cahilo, o arranque deste projecto hidroeléctrico vai proporcionar o maior número de emprego aos jovens

desta região bem como aumentar e garantir maior oferta aos consumidores. Segundo disse, com a conclusão do projecto haverá maior possibilidades de investimentos por parte dos empresários, através da criação de pequenas e médias empresas e contribuir no aumento de impostos fiscais para os cofres do Estado.

Hélder Cahilo referiu que o consumo de energia eléctrica proveniente de uma fonte de produção natural, reduz os custos aos consumidores e os riscos são menores em relação ao uso de geradores.