A província do Bengo contribui com 1,52 por cento (434) da oferta de quartos de hotéis e similares do país, que conta com 28.462 quartos, informou na passada quarta-feira, em Caxito, o director nacional do Turismo, Mário dos Santos.
O responsável, que dissertava o tema “O turismo como fonte de diversificação da economia”, enfatizou a necessidade da província trabalhar no aumento das infra-estruturas turísticas e hoteleiras e o fomento do turismo rural e cultural, com vista a se explorar da melhor maneira as potencialidades da região do Bengo.
Lembrou que o sector do turismo em Angola regista ainda uma participação infima na formação PIB , se comparada a outros países da SADC.
Para inverter o quadro, disse ser necessário trabalhar de modo a atingir pelo menos os 5.8 por cento, meta que consta do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN).

Empregos gerados
No domínio do emprego, o sector proporcionou a geração de 223.965 postos de trabalho
a nível do país.
Apontou a escassez de equipamentos hoteleiros, de infra-estruturas, de quadros, a produção estatística, a dependência excessiva de negócios e as vias de acesso como os principais constrangimentos para o desenvolvimento do sector.
Sugeriu maior divulgação dos locais turísticos junto das associações e agências de turismo e viagens, assim como a realização de fóruns de negócios, feiras e outras iniciativas que ajudem a atrair e mobilizar os actores do sector privado a investirem
na província.
Em 2018, Angola recebeu a visita de 297 mil turistas de Portugal, 83 mil e 25 mil da China, 60 mil e 641 do Brasil e 46 mil e 992 da África do Sul.