A província de Benguela está a atravessar grandes dificuldades no que concerne à produção e distribuição de energia eléctrica. Para fazer face a este défice, está em curso a construção de quatro subestações, além da instalação de 111 Postos de Transformação (PT).
Dados da Prodel indicam que em Benguela há uma capacidade instalada de cerca de 270 Megawatts e neste momento a disponibilidade ronda os 150 Megawatts, e o problema situa-se na linha de transportação e distribuição.
Falando à imprensa, em Benguela, a presidente do Conselho de Administração da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE-EP), Ruth Cardoso Safeca, revelou que a sua instituição pretende instalar uma subestação no município da Baía Farta, igual número para a Catumbela, Lobito e Benguela.
“Prevemos a montagem 111 postos de transformação e a ligação domiciliária para 22.500 clientes. Está também em forja a interligação entre a subestação de Benguela-Sul e a Baía Farta”,informou a gestora da Ende.
Informou que foi feita uma consignação para o reforço da rede e para melhoria da estabilidade a nível do município do Lobito, projectos ao abrigo da Linha da Cozel, em que vão ser construídas uma subestação no Lobito e duas em Benguela, que vai propiciar e trazer alguma estabilidade no fornecimento a nível da rede de distribuição.
“Benguela é uma das grande praças e de todo importante que daqui para frente se dê uma atenção diferenciada à população de Benguela e sobretudo aos nossos clientes”, disse a responsável.

Estabilizar o transporte
O presidente do Conselho de Administração da Rede Nacional de Transporte de Energia (RNT), Rui Jorge Gourgel explicou que a subestação de Benguela é um ponto muito importante para estabilizar o transporte como a própria distribuição de energia nesta região e vai poder receber energia que é produzida na região norte com linha de muita alta tensão.
O PCA da RNT considerou que o projecto iniciado em 2017 está praticamente concluído e a empresa que dirige vai pôr a distribuição da região de Benguela a partir da zona norte, cuja produção que é feita em Laúca.