Em alusão às celebrações do Dia Mundial da Água, que se assinala esta sexta-feira (22), o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, desenvolve uma intensa actividade na província do Bié, local que este ano, acolhe o acto nacional, com inaugurações de três centrais de captação, tratamento e distribuição de água, das sedes municipais de Nharea, Cunhinga e Cuemba, inseridos no Programa de Investimentos Públicos, que no total vão beneficiar 74.957 habitantes.
Segundo uma nota do Ministério da Energia e Águas, o sistema da Nharea tem uma capacidade para 210 metros cúbicos (m3) por hora de água, para atender 29.601 habitantes, do Cunhinga com um volume de 150 m³/hora, para atender 19.239 habitantes, e o do Cuemba, com 180 m³ para atender 26.117 habitantes.
Segundo uma nota a que o JE teve acesso, o sector da água, onde as dificuldades “são presentemente maiores”, o reforço do abastecimento a nível nacional tem sido focado na implementação de projectos de captação, tratamento e distribuição em diferentes sedes provinciais e municipais, complementados com acções do programa “Água Para Todos” nas zonas rurais e de menor densidade populacional.
A fonte destaca que em Luanda, a perspectiva de construção de dois novos sistemas, Quilonga e Bita, representarão um progresso significativo que permitirá a redução do déficit actual para menos de metade.

Abordagem mundial
Instituído pela Organização das Nações Unidas, este ano, a organização mundial divulgou um relatório sobre o desenvolvimento dos recursos hídricos.
A ONU indica que mais de 2 bilhões de pessoas não têm acesso a uma fonte adequada de água potável e que um número ainda maior de 4,3 bilhões não têm saneamento básico.
O relatório alerta que até o ano 2050, cerca de 45 po cento do PIB global e 40 da produção mundial de grãos serão ameaçados por danos ambientais e falta de recursos hídricos.