A Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom) prevê produzir 110 mil toneladas de açúcar, 19 mil metros cúbicos de etanol e 55 mil megawatts de energia eléctrica.
De acordo com o coordenador de comunicação e relações Institucional da empresa, Gerry Vissapa, a Biocom bateu o recorde histórico, ao atingir em Outubro cerca de 100 mil toneladas de açúcar branco na presente colheita, contra as 73 mil toneladas de 2018.
Segundo a Angop, actualmente foram produzidos 12.700 metros cúbicos de etanol e 53.400 megawatts de energia eléctrica, a partir do bagaço da cana-de-açúcar.
Acrescentou que no plano de negócio, a empresa pretende alcançar a produção final de 250 mil toneladas de açúcar e 36 mil metros cúbicos de etanol ano.

Mercado
A Biocom é a primeira empresa de Angola a produzir e a comercializar açúcar, etanol e energia eléctrica a partir da biomassa, e tem como visão, contribuir com o desenvolvimento de Angola por meio da produção de alimentos, energia eléctrica e de combustíveis a partir de fontes renováveis.
Criada em 2008, a sua primeira safra experimental aconteceu em 2014, com a produção de três mil toneladas de açúcar.
A unidade está implantada no Pólo Agro-industrial de Capanda, no município de Cacuso, numa área de 81 mil e 201 hectares, dos quais 11 mil e 55 estão reservados à preservação da fauna e flora, 70 mil e 102 mil hectares virados à produção agrícola, prevendo até 2025, atingir a produção de 256 mil toneladas de açúcar.
A actualmente a empresa controla 2.431 trabalhadores nacionais e expatriados.