Cerca de doze brigadas de Manutenção e Conservação das Estradas, criadas pelo Fundo Rodoviário, entraram, recentemente, em funcionamento na província do Huambo.
As respectivas brigadas, segundo a Angop, permitiram a criação de 240 postos de trabalho a ex-militares e jovens, foram implementadas nos troços Huambo/Desvio do Bailundo/Mungo, Huambo/Chinjenje e Huambo/Cachiungo, ambos com quatro brigadas, compostas por 80 cidadãos cada.
As mesmas são responsáveis pelas acções de corte de capim, limpeza dos órgãos de drenagem, taludes, bermas e reposição da sinalização horizontal e vertical.
A par desses trabalhos, os brigadistas também têm como missão detectar o surgimento de ravinas, considerado como principal elemento de deterioração das estradas em curto espaço do seu tempo de vida útil.
Apesar de os trabalhos terem iniciado, de forma simultânea, em todos os troços, o acto oficial decorreu na vila do municipal do Bailundo, 75 quilómetros da cidade do Huambo, orientado pelo presidente do Fundo Rodoviário, Simão Tomé.

Passo importante

Na ocasião, Simão Tomé disse que o início das acções de manutenção das estradas da província do Huambo constitui um passo importante, sobretudo, quanto à estratégia do Fundo Rodoviário, que passa pela implementação de brigadas de conservação em todo país.
Sublinhou que as 12 brigadas da província do Huambo terão a missão de vigiar perto de 240 quilómetros de estradas, criando melhores condições de segurança na circulação automóvel.
O gestor disse existir condições necessárias para o cumprimento rigoroso da missão, enquanto outras estão a ser criadas para, num curto espaço de tempo, treinarem-se as brigadas para trabalhos de tapa buracos que sempre aparecem nas estradas.
A par da província do Huambo, Simão Tomé deu a conhecer que o Fundo Rodoviário conta igualmente com brigadas nas regiões de Luanda, Bengo, Cabinda, Bié e Zaire.
Alguns automobilistas ouvidos pela Angop no local, mostraram-se regozijados com a implementação das brigadas de manutenção e conservação das estradas, que, segundo eles, vai reduzir o índice de sinistralidade rodoviária, provocado pelo mau estado técnico das vias e falta de visibilidade, devido o capim ao longo das bermas.
Joaquim Filipe Soma enalteceu a iniciativa do Governo em criar o Fundo Rodoviário, um órgão que a nível da administração indirecta do Estado é responsável pela manutenção e conservação das estradas da rede fundamental.
Desde a sua criação, em Outubro de 2015, foram intervencionados 35 troços de estradas da rede prioritária, sendo que 30 beneficiaram de trabalhos de conservação e manutenção, e os restantes cinco troços são referentes a obras de tratamento de ravinas, perfazendo um total de 2017 quilómetros de estradas financiados pelo Programa Nacional de Conservação e Manutenção de Estradas.

Estrada Cuima/Cussy

Por outro lado, um total de quatro pontes metálicas estão a ser construídas em igual número de rios na estrada Cuima/Cussy, que liga as províncias do Huambo e da Huíla, cuja reabilitação decorre desde Abril, soube a Angop.
De acordo com o administrador da comuna do Cuima, Lutonadio Samuel Ntima, as infra-estruturas estão em construção nos rios Calai I, Calai II, Luvulu e Quando, em substituição as anteriores cuja degradação era acentuada.