O engenheiro agrónomo Carlos Manuel manifestou, recentemente, na cidade do Huambo, a sua preocupação quanto ao processo burocrático por parte dos bancos, na cedência do crédito agrícola.
Ao abordar o tema “Políticas de crédito para o sector agrícola e agro-industrial”, no seminário que abordou os problemas que enfermam a agricultura nacional, e que visou também, buscar as contribuições para se encontrar o caminho de uma agricultura sustentável e competitiva, o especialista reconheceu que alguns segmentos do sector agrícola carecem de uma organização administrativa para recorrerem aos bancos.
Por sua vez, o também engenheiro agrónomo e consultor Yuri Chipuio, destacou que para superar o actual défice da produção, será necessário disponibilizar o crédito agrícola para os camponeses organizados em cooperativas.
O especialista sublinhou que a intervenção das instituições de ensino para melhorar a investigação em todo o país poderá contribuir para o aumento da produtividade.
O técnico disse que existem estudos e informação disponíveis, já que as faculdades continuam a produzir quadros, faltando apenas a cooperação entre instituições, com realce para o Ministério da Agricultura, as universidades agrárias bem como o sector privado.

Investigação agrária
O director provincial do Gabinete da Agricultura, Abrantes Carlos, apelou o engajamento na investigação agrária, por ser a primeira que intervém na produção e segurança alimentar.
Segundo ele, o segmento da investigação agrária contribui para que os níveis da produção na província do Huambo sejam altos, o que vai ajudar a combater a pobreza no seio da população.