Os trabalhos de perfuração de 20 a 60 furos de água no leito do mar, de 35 metros de profundidade, que irão fornecer informações críticas para as fundações da futura infra-estrutura portuária, em águas profundas, na província de Cabinda, iniciaram, recentemente, pela empresa inglesa “Franki Africa Sucursal Angola”, a quem foi adjudicada a obra de construção do porto, pela firma angolana Porto Caio.

Para o trabalho de furos, que vai dar acesso à construção da primeira fase do porto em àguas profundas, no Caio litoral de Cabinda, a empresa Franki África Sucursal Angola conta com uma barca geotécnica e uma plataforma auto-elevatória modular que vai permitir a perfuração dos furos, num período de 10 semanas.

O projecto de construção do porto em águas profundas, na localidade do Caio Litoral, contempla três fases. As obras da primeira fase que arrancam após o termo dos trabalhos de perfuração de 60 furos, estão avaliados em cerca de 70,6 mil milhões de kwanzas (600 milhões de dólares).

Para esta etapa, estão incluídas as obras de comprimento da parede do cais comercial de 775 metros, além do cais de apoio e as plataformas, que comportam 360 metros. A infra-estrutura contemplará ainda quebra-mar, canal de acesso de 150 m de largura, acesso rodoviário, círculo de giro de 400 m de diâmetro e bacia de 215 m de largura.

A segunda fase inclui obras de comprimento da parede do cais comercial de 1.550 m. Esta fase contempla também uma secção profunda de 12,5 m e uma secção rasa de 7 m. Na terceira fase estão incluídas as obras de comprimento da parede do cais comercial de 1.925 m, serviços portuários, canal de acesso de 170 m de largura, círculo de giro de 450 m de diâmetro e bacia de 270 m de largura.

Ganhos
A infra-estrutura portuária será dotada de avançadas condições tecnológicas, que servirão para o apoio às plataformas petrolíferas e à reparação de embarcações.

Durante o período de construção das três fases, serão garantidos empregos directos e indirectos, sendo um total de 1.000 empregos a curto e médio prazos e de 1.500 empregos a longo prazo.

De acordo com o presidente do Conselho de Administração do Caio Porto, Brian Fuggle, os trabalhos de perfuração que vão ser executados no leito do mar do Caio Litoral é um marco fundamental para a concretização do projecto de construção do porto em águas profundas no Caio Litoral de Cabinda.

“Este projecto irá beneficiar todos os angolanos, de Cabinda ao Cunene, através da criação de empregos e servirá como porta de entrada para o crescimento económico de Cabinda e da região”, referiu.

Adiantou que, desde que foi adjudicado o contrato, em Agosto de 2012, a empresa Caio Porto, atingiu avanços significativos do projecto da infra-estrutura portuária, com a instalação do estaleiro no local da construção do empreendimento, a pré-selecção dos empreiteiros e de subempreiteiros que estão engajados na execução das obras da primeira fase.

Desenvolvimento
Para a governadora de Cabinda, Matilde Barros da Lomba, que discursava na cerimónia de perfuração dos furos da primeira fase, disse que o empreendimento irá garantir a maior ligação com a região e com o país.

“O porto vai garantir a exportação dos produtos de petróleo e de gás e outras mercadorias, bem como também, irá promover o turismo e fazer de Cabinda um ponto de referência na região da África Central “, disse.

De acordo com a governante, a infra-estrutura portuária contribuirá para a industrialização e aumento do emprego no seio da população. Adiantou que, “a população da região está esperançosa em ver implementado o mais rápido possível o porto, para contribuir no crescimento do sector produtivo”.

“Os primeiros passos foram dados e acreditamos que até ao terceiro trimestre de 2017, a província de Cabinda terá um porto que poderá facilitar o desenvolvimento económico, porque o porto constitui a porta de entrada e saída de mercadorias”, disse, acrescentando que “a unidade portuária contribuirá na concretização do plano de desenvolvimento económico da província, que se baseia na melhoria da qualidade de vida da população, contando com o incentivo da produção agrícola”.

Benefícios
O porto do Caio trará benefícios importantes para a província de Cabinda, com realce para o aumento substancial do empregos directos e indirectos, principalmente para a camada jovem, além de proporcionar canais de exportação adicionais, nos sectores em expansão, com realce ao petrolífero e do gás em Angola e na redução de congestionamento dos portos regionais.

A infra-estrutura permitirá também aumentar as oportunidades comerciais dentro do país, por toda a região, bem como o reforço das iniciativas de crescimento económico em Cabinda, tais como o pólo industrial di Fútila, o fomento do turismo na região, estimulando o comércio local e a criação de novas oportunidades de investimento e de crescimento.

Com o seu funcionamento em pleno, o Porto do Caio permitirá a redução no custo logístico da cadeia de abastecimento a nível de despesas e de tempo de trânsito, o que irá incentivar as empresas locais a crescerem.