A Adra está também, a desenvolver esforços, no sentido dos camponeses das áreas de intervenção reembolsarem o crédito de cerca de kz 18 milhões, concedido pelo Banco de Comércio e Indústria (BCI).
Segundo o director-geral da Adra, Fernando Santos, o fundamental é que os camponeses devolvam o dinheiro que receberam dos bancos.
Actualmente, acrescentou, a Adra tem trabalhado na identificação e elaboração de micro-projectos comunitários em que os proponentes são submetidos à formação, e na fase de financiamento são remetidos aos bancos (Banco Sol e BCI), com os quais a instituição estabelece parcerias.
Fernando Santos fez saber que, o apoio prestado pela Adra é destinado às famílias camponesas e seus agregados, com destaque para a segurança alimentar e nutricional.

Apoio às comunidades

A ONG está a realizar um diagnóstico no município de Cacuso, numa parceria com a Universidade Católica de Angola, voltado para o apoio às pessoas vulneráveis.
No seu entender, o apoio é um acto de justiça social e que concorre para a harmonia e ao processo de inclusão social.
“Temos algumas associações que são apoiadas pela Adra e pelo MOSAP, e primamos pela identificação e elaboração de sub-projectos que são submetidos aos bancos comerciais”, realçou, Fernando Santos.
Independentemente do apoio da banca, a Adra conta, igualmente, com um fundo de micro-crédito que visa ajudar as pessoas a adquirirem os factores de produção e aumentarem as áreas de produção e desenvolver o empreendedorismo, visando melhorar a sua condição de vida. VV