Meios agrícolas para apoiar os camponeses afectados pela seca no município da Chibia, província da Huíla, começaram a chegar à circunscrição, constatou a Angop durante uma visita efectuada pela vice-governadora para o sector social e político, Maria Tchipalavela. Na localidade, situada a 42 quilómetros a Sul da cidade do Lubango, 22 toneladas de fertilizantes.
 As autoridades locais estão a aguardar pela chegada, de sementes de cereais, hortícolas, motobombas, charruas e outros meios agrícolas que serão distribuídos de forma gratuita, a partir  de Setembro, para compensar as perdas no último ano agrícola.
 A administradora municipal, Otília Noloti Vianney, louvou o trabalho do Governo, tendo aconselhado a repartição local da Agricultura e Desenvolvimento Rural a fazer uma gestão racional dos meios e cedê-los a quem verdadeiramente sofre as consequências da seca.
Considerou bem-vinda a iniciativa do Executivo em canalizar para a região os meios de forma atempada para permitir que os camponeses comecem a cultivar tão logo a chuva inicie.
 
Produção
Na campanha agrícola 2012/2013 foram cultivados na região 64 mil hectares de terras aráveis, sendo que 70 por cento das culturas ficaram atrofiadas devido à escassez de chuvas.
 O município da Chibia possui uma população estimada em 206 mil habitantes, que se dedicam principalmente à agricultura e criação de gado. Tem quatro comunas: sede, Capunda Cavilongo, Quihita e Jau.

Sector agro-pecuário
As obras de construção do matadouro municipal da Chibia, terminam em Novembro, segundo o encarregado de obras, Armando Gomes. O responsável referiu que as obras tiveram início em Julho e estão orçadas em sete milhões e 614 mil kwanzas, inseridas no Programa Municipal de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza para este ano.
Neste momento, referiu Armando Gomes, está já concluída a construção do curral, a vedação geral do espaço e as fundações para os outros compartimentos do matadouro.
Fez saber que o mesmo vai comportar, igualmente, uma área administrativa com escritório e sala para o técnico de veterinária, zona de abate, sala de desmanche, lavabos e vai permitir o abate mais controlado de animais na circunscrição.