O fornecimento de energia eléctrica na Huíla terá um incremento de 50 Megawatts, no decorrer do I trimestre do ano em curso, com a instalação de duas turbinas, na comuna da Arimba, município do Lubango, anunciou, recentemente, o governador provincial, Luís Nunes. Está, também, em curso a montagem de algumas linhas de transporte, que vão beneficiar a centralidade da Quilemba e alguns bairros da cidade do Lubango. A província da Huíla tem a possibilidade de interligação aos projectos de âmbito nacional, como um desafio para o ano 2019, com vista a ter um fornecimento regular de energia eléctrica. “O fornecimento regular de energia, com possibilidade de interligação aos projectos de âmbito nacional é também desafio do governo da Huíla, para o ano 2019”, anunciou Luís Nunes.

Facilitar a circulação
Referiu ainda a reabilitação e construção de estradas de terra, nas principais ligações entre os municípios do Leste da província, com vista a facilitar a circulação e escoamento de produtos agrícolas.
A província da Huíla oferece uma vasta gama de oportunidades aos investidores nacionais e estrangeiros, sobretudo nas áreas de exploração mineira, potencial turístico e outras.
“Apelamos ao empresariado huilano no sentido de reforçar os seus investimentos nestas áreas, contribuindo assim para o desenvolvimento do sector privado e das empresas nacionais, estimulando a valorização do capital humano e redução dos preocupantes índices de desemprego”, disse o governador.
Luís Nunes destacou que existe muito por fazer, sendo que os desafios apesar de serem vários, “iremos explorar melhor o potencial agro-pecuário da província, que tem um papel de destaque na vida socioeconómica das populações, que aliada a uma longa tradição das nossas comunidades e pequenos agricultores, representam a principal fonte de recursos e rendimento”.

PROVÍNCIA trabalha para reactivar “Triângulo do milho”

A província da Huíla possui a terceira maior área de cereais do país, porque possui excelentes condições naturais que permitem, dentre outras, a reactivação do “Triângulo do milho”, o fomento da cultura do café e a dinamização da indústria da carne, com um envolvimento directo da classe empresarial.
Para ele, com a realização de acções concretas, a região vai contribuir para a garantia da segurança alimentar das populações, “porque temos excelentes condições naturais para o efeito, que permitirão, dentre outras, a reactivação do Triângulo do milho, o fomento da cultura do café e a dinamização da indústria da carne, com um envolvimento directo da classe empresarial”.
O sector agro-pecuário na província, salientou, tem uma longa tradição das comunidades e pequenos produtores, que representa a principal fonte de recursos e rendimento.
O governante anunciou que para o ano em curso, a atenção será dada à exploração do potencial agro-pecuário da província, “que tem um papel de destaque na vida socioeconómica das populações”.
O governador da província da Huíla, Luís Nunes, referiu que é preocupação do Executivo trabalhar na criação do ambiente adequado para o aumento da produção interna de bens e de serviços, apostando no investimento privado nacional e estrangeiro.

Governação participativa
A nível da província, referiu, decorridos pouco mais de três meses da nova governação, deu-se início a um processo de auscultação directa das “nossas
populações, estabelecendo bases para uma governação mais próxima do cidadão e mais participativa”.
“Percorremos municípios, comunas e bairros, onde constatamos alguns casos preocupantes e com necessidade para serem superados”, anunciou.