A Sociedade Mineira de Catoca, na província da Lunda Sul, mantém os níveis de produção diamantífera, com a perspectiva de extrair 50 mil metros cúbicos de minério por dia, disse hoje (terça-feira) à Angop o chefe do departamento de metalurgia, Flávio Fernandes.

De acordo com o responsável, a empresa sempre funcionou 24 horas por dia, pois, esclareceu, uma suposta paralisação, como foi anunciado em certa imprensa estrangeira, acarretaria enormes prejuízos tanto para o Estado angolano como para os parceiros que constituem a sociedade.

O engenheiro principal informou que foi criada na empresa uma comissão de crise com redução de custos e foi recomendado o não despedimento de trabalhadores.

Segundo o relatório de 2007, entregue hoje à Àngop, a Sociedade Mineira da Catoca tratou nove milhões e 750 mil toneladas de minério e recuperou seis milhões e 500 mil quilates, quantidades que serão superadas no âmbito da estratégia de crescimento da sociedade, fundada em 1995.

No capítulo da responsabilidade social da empresa, refere o documento, mantém-se as iniciativas para formação profissional, concessão de bolsas de estudo externas, auxílio para aquisição de moradia, apoio às comunidades com programas de educação, saúde, alimentação, agricultura, distribuição de água, entre outros.

As operações do Catoca, adianta a nota, têm-se traduzido na melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores e das comunidades circunvizinhas.