O conhecimento das potencialidades agrícolas e piscatórias, caracterização da população agrícola,  práticas culturais, equipamentos usados para a produção na região Leste do país nortearam os debates  em torno do programa de Recenseamento Agro-Pecuário e Pescas (RAPP).
O encontro, realizado na cidade de Saurimo, capital da Lunda Sul, juntou técnicos do sector, gestores provinciais, municipais e comunais, numa iniciativa conjunta entre o Instituto Nacional de Estatística (INE), Ministérios da Agriculta e Florestas e o das Pescas e do Mar.
Na apresentação dos objectivos do programa, o chefe de Departamento das Contas Nacionais do Ine, Marcelino Ferreira, lembrou que o censo Agro-pecuário e Pescas visa recolher, processar e divulgar dados, que sirvam de suporte  para ajudar o Executivo a “tomar decisões” facilitar o acesso aos investidores e académicos.
Referiu que os debates sobre o  cronograma do RAPP já decorreram em seis, das 18 províncias, e antecede o recenseamento agendado para o próximo ano.
O destaque da apicultura aflorado no domínio da exploração de florestas levantou inquietações por parte do director local do IDF Tomás Mizalaque, sobre a prevenção para acautelar a prática da  apicultura, bastante difundida no seio das comunidades rurais.

Garantia de financiamento
A administradora de Muconda, Maria Segunda, questionou a aludida “garantia de financiamento para o programa avançar” defendendo que a reabilitação das vias deve constar das prioridades.
O prelector Agostinho Sardinha, esclareceu que a parceria das Forças Armadas Angolanas, com os meios que dispõe permitem atingir zonas de difícil acesso.
Para o soba de Txizaínga, Thumba Calunga, as linhas mestras que suportam o programa “deviam ser do domínio das comunidades rurais, como principais protagonistas das acções previstas no RAPP”.

PECUÁRIA NO UÍGE
Mucaba quer voltar a ser uma poténcia na região no Uíge

O director da Agricultura do município de Mucaba (Uíge),  Joaquim Ernesto Pedro, revelou que a região controla 465 cabeças de gado bovino, distribuídas em 10 pecuárias. O responsável apontou como principal preocupação dos criadores, a falta de apoios em termos de vacinas para tratar os animais.
Joaquim Ernesto Pedro sublinhou que, na época colonial, o município de Mucaba já foi uma potência na criação de gado bovino.
Recordou, como exemplo, a aldeia Quitamba I, do então fazendeiro Armando Teixeira Lino, que foi conhecido naquela altura por “Artexi”.
Até o ano de 1970, a pecuária apascentava uma manada de cerca de sete mil bois, potencialidade que a direcção da Agricultura quer ver recuperada.
Na região estão a surgir vários criadores que recorrem a raças provenientes da República Democrática do Congo e da zona Sul de Angola.Joaquim Júnior no Uíge

Recenseamento agro-pecuário e pescas
Lançada a actualização de dados estatísticos

O Instituto Nacional de Estatísticas (INE) iniciou, na passada sexta-feira, o Recenseamento Agro-pecuário e Pescas (RAPP) no Bié, cujo objectivo é colocar na base de dados números reais dos campos agrícolas existentes em todas as localidades do país.
No acto do lançamento da campanha, o director-geral do INE, Camilo Ceita, disse que 29 milhões de dólares é o orçamento global que será aplicado no programa, dos quais 18 milhões para a operação censitária, sete milhões para os Ministérios da Agricultura e Florestas bem com o das Pescas e do Mar, com o objectivo de realizarem o inquérito sectorial.
Financiado pelo Banco Mundial, o projecto contará com 1.500 agentes para a recolha de dados, que actuarão em todas as localidades do território nacional.
O director-geral do Ine salientou que a operação visa contabilizar as aldeias existente em todo o território nacional, bem como o número de cabeças de gado bovino e caprino para melhor organização do sector. Delfina Victorino
no Cuíto

Controlo
Camilo Ceita salientou que actualmente consta na base de dados 25.500 aldeias que precisam ser controladas, o número de fazendas e gado existentes, bem como os seus proprietários.
Para as grandes explorações empresariais no sector da agricultura, pescas e silvicultura é preciso obter dados concretos para o engajamento dos investidores.
Em relação ao Bié, Camilo Ceita disse que a formalização dos órgãos da Comissão Provincial e os Gabinetes Municipais visam garantir as acções no âmbito institucional, político e administrativo dos órgãos da região Centro.
Reconheceu que “a execução deste programa está em atraso por causa da falta de tabletes, que serão os principais meios de trabalho na recolha de dados”.
Camilo Ceita salientou que “a empresa vencedora e contratada do concurso para a aquisição de meios, tabletes, tem dificuldades para colocar o material no país”.
“O mau estado das estradas que dão acesso às sedes municipais e comunais não vai dificultar o trabalho de recolha de dados, pelo facto de o INE ter feito já um estudo em tempo chuvoso”, assegurou.
Na estrutura do Recenseamento Agro-pecuário e Pescas (RAPP), Camilo Ceita, lembrou que têm em disposição uma comissão inter-ministerial composta por vários ministérios, com realce para o do Interior e da Defesa, com o apoio do INE.
Tem, também, vários meios à sua disposição, desde as viaturas de todo o terreno e motorizadas para actuarem em todas as aldeias do país.