Ministério da Construção, através do Instituto de Estradas de Angola (INEA), na perspectiva da redução dos preços unitários de conservação das vias rodoviárias, vai construir e reabilitar centrais de emulsões betuminosas, nas províncias de Luanda, Benguela e Namibe.

A central de emulsões betuminosas de Luanda começou a funcionar em 2003 e tem uma capacidade instalada de 12 toneladas por hora e um armazenamento de 50 toneladas de emulsão, igual quantidade de betume. Segundo um documento a que o JE teve acesso, a central terá capacidade de armazenar 5.000 litros de fluxante, igual quantidade de gasóleo para caldeira e 10.000 litros de água para a produção.

Central de emulsões
As obras de ampliação da central de emulsões betuminosas de Luanda aconteceram em 2006, na qual prevê que a infra-estrutura tenha uma capacidade instalada para produzir 12 toneladas/hora, armazenamento de 250 toneladas de emulsão, 900 toneladas de betume, 20.000 litros de fluxante, 25.000 litros de gasóleo para caldeira e 60.000 litros de água para a produção.

Em consequência das fortes chuvas de 2007, boa parte do equipamento de apoio ao funcionamento da central de emulsões de betuminosas de Luanda ficou submersa e danificou-se. O documento indica que a central está paralisada devido às condições técnicas, por inundações na cave, provocando a danificação dos equipamentos, mas que, adianta, está em curso o programa para a reabilitação do empreendimento industrial.

Funcionamento
A central conta com um conjunto de caldeira para o aquecimento do asfalto e dos demais elementos da fábrica, um laboratório, para análise e controlo de qualidade das emulsões, cisternas de asfalto, de água e dois cavalos mecânicos. De acordo com a sua capacidade instalada, as centrais podem produzir o equivalente a 1.056 toneladas de emulsão por mês e 1.2672 por ano.

Incremento
O projecto de Beguela pretende elevar os níveis de produção, de forma a permitir a criação de uma política c onducente à redução de preços no custo dos trabalhos das obras, promover o transporte dos contentores concentrados em Benguela, com os materiais para a preparação e reparação da central de emulsão de Luanda e rever com o fornecedor dos equipamentos (composan internacional SA) a possibilidade de iniciar a reparação.