A centralidade do Quilomoço, na cidade do Uíge, onde serão erguidas 4.550 habitações, começa a ser habitada em Junho deste ano, garantiu, na passada quarta-feira, o governador local, Pinda Simão, noticia a Angop.
O governador, que prestou a informação no final da visita que efectuou ao local, que conta com 1.010 casas prontas a habitar, disse que a centralidade vai albergar, nesta primeira fase, cerca de cinco mil habitantes, sendo 752 apartamentos, 82 moradias térreas e 176 moradias de dois pisos.
Acompanhado do vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Afonso Luviluku, e de responsáveis da empresa construtora Kora Angola, percorreu demoradamente as diversas áreas do projecto, tendo recebido informações detalhadas sobre a execução do projecto.
Revelou que o arranque do projecto, este ano, vai facilitar o acesso à habitação condigna e colmatar a carência de casas com que se debate a população local, sobretudo os jovens.
Garantiu ainda que os trabalhos da subestação eléctrica decorrem a bom ritmo, prevendo a sua conclusão em Maio do corrente ano.
O governante manifestou-se igualmente satisfeito com as obras de construção de várias infra-estruturas sociais, nomeadamente escolas primárias e secundária, posto de saúde, centro infantil e jardim de infância.
Na centralidade do Quilomoço, que dista cinco quilómetros da cidade do Uíge, inteirou-se ainda dos trabalhos da construção da estação de tratamento de águas e da subestação eléctrica, cujos trabalhos encontram-se em fase avançada de conclusão.   

Água potável
O director provincial da Energia e Águas, Mendes Domingos, explicou que o sistema de abastecimento de água à centralidade do Quilomoço possui uma capacidade de armazenamento de 3.500 metros cúbicos (m3), assim como outros 275 m3 de tratamento.
A centralidade do Quilomoço integra prédios de quatro pisos com oito apartamentos cada, moradias térreas e outras de um e dois pisos.