Ministério do Ordenamento do Território e Habitação está a estudar um mecanismo para reduzir os preços das habitações nas centralidades do país, informou, recentemente, na cidade do Lubango (Huíla), a ministra Ana Paula de Carvalho.
O estudo inclui, igualmente, a dilatação dos prazos para liquidação das casas, passando dos actuais
25 para 30 anos.
Falando aos jornalistas, afirmou que enquanto decorrem os estudos, as casas vão ser entregues na modalidade de arrendamento, com preços mais baixos e depois passarão à renda resolúvel.
“Queremos fazer uma revisão não apenas para a Huíla, mas no geral, está a ser feito um trabalho no sentido de rever os preços, para que haja uma prestação mais baixa”, reforçou.
No Lubango, a titular da pasta testemunhou a entrega de residências na centralidade da Quilemba, com cerca de oito mil, tendo as primeiras sido entregues de forma simbólica pelo Presidente da República, devendo todas serem habitadas em um ano.
As casas são todas do tipo T3, entre vivendas separadas, geminadas e apartamentos em edifícios de dois e três pisos.
As obras na Quilemba foram concluídas em 2012, mas ainda não recebeu habitantes devido a ausência dos principais serviços, como água e energia.