O Centro de Ecologia Tropical e Alterações Climáticas (CETAC) vai, este ano, estudar o problema que afecta cada uma das nascentes do planalto central, para aplicação da medida de requalificação adequada.

O facto foi manifestado na passada segunda-feira, à Angop, pelo director do Cetac, Joaquim Lauriano, informando que em função do estado de degradação da maioria das nascentes locais, segundo estudos feitos há 100 importantes locais do género, daí a necessidade de se estudar e propor medidas que ajudem a inverter a situação actual, trabalho a ser realizado por cinco técnicos ambientais.

Lembrou que a maioria das nascentes da província do Huambo, essencialmente, as localizadas nas zonas povoadas, sofrem acções de poluição, desflorestação, construção sobre elas, exploração de inertes e prática de agricultura, entre outras acções, que impedem o seu objecto natural de concentração das águas, surgimento e reabastecimentos dos rios.

Para contrapor a situação, serão aplicadas medidas de reflorestação, obras de engenharia para concentrar as águas, protecção das zonas de recargas, limpeza dos resíduos sólidos, entre outras, de acordo com a especificidade do problema que cada uma apresenta.

Deu a conhecer igualmente que está em curso um projecto ligado a identificação e selecção de plantas resistentes a seca, na região do Cunene.