As estações dos Caminhos de Ferro de Benguela (CFB) podem servir para fomentar o turismo e gerar receitas para o país, fruto das suas belezas naturais.
Esta possibilidade foi manifestada, recentemente, na província do Huambo, pelo governador local, João Baptista Kussumua, no acto de entrega provisória do troço Lobito/Huambo ao Conselho de Administração do CFB.
“É fundamental que se aproveite as potencialidades das estações em termos de beleza a favor do sector do turismo do país, não podendo estar exclusivamente à disposição dos passageiros para o embarque e desembarque”, referiu.
João Baptista Kussumua afirmou que os caminhos-de-ferro do país são obras de arte, fruto das acções que o governo fez para a sua recuperação, tornando estes espaços mais modernos e atraentes.
Além de servirem de ponto estratégico económico, afirmou, constituem espaços essenciais para alavancar o turismo no país, na medida em que é nas estações onde embarcam e desembarcam passageiros nacionais e estrangeiros.
Por isso, defende que os governos provinciais, através das administrações municipais por onde passam as linhas férreas, devem adoptar uma postura de conservar estes locais com alguma higiene que, efectivamente, possa dignificar a boa imagem do país.
Sublinhou ser imperioso que se efective estas acções no sentido de permitir que os estrangeiros possam entrar nestas estações com maior prazer e circulem nelas tal como conseguem ver os aspectos de higiene e de limpeza nos seus países de origem.