A falta de cadastramento da rede de abastecimento de água, telecomunicações e electricidade, que constituíam factores de constrangimento na execução normal das obras das infra-estruturas integradas da cidade do Lubango, província da Huíla, que terminam em Setembro de 2020, está a ser solucionado. Segundo o coordenador das obras, João Dinheiro, o projecto permitiu já a construção de mais 40 quilómetros de estrada, que liga a periferia e o casco urbano da cidade. Informou que as infra-estruturas não cadastradas, redes de água, electricidade e telecomunicações, constituem factores de constrangimentos, que estão a ser dirimidos, amedida em que as obras decorrem. “Os constrangimentos são de vária ordem, como os casos das infra-estruturas não cadastradas, redes de abastecimento de água, telecomunicações, electricidade, mas graças a intervenção das entidades locais e dos órgãos afectos as áreas em causa e da administração municipal, estamos a ultrapassar esses constrangimentos todos”, informou. Explicou que o projecto das obras das infra-estruturas integradas da cidade do Lubango não está a ser feito de forma isolada e há uma comissão multissectorial que está a acompanhar esta acção. O projecto está a ser executado com a integração de uma comissão multissectorial, o que está a permitir com que os constrangimentos sejam ultrapassados. Recordou que as obras integradas do Lubango terminam em Setembro de 2020, “e pelo ritmo que os trabalhos ganharam, tudo indica que o empreiteiro vai cumprir com os prazos”. Nesta altura, as obras cingem-se no prolongamento do rio mukufi, que sai do Pavilhão do Benfica até a Avenida 4 de Fevereiro, no Laureano. Ainda este mês, serão abertos ao público os troços centro da cidade/Mapunda de baixo, Machiqueira/Laboratório Veterinário, no bairro Benfica. Em conclusão está ainda as ruas do bairro Minhota. “Já temos concluída a estrada da Mapunda, bem como a estrada Avenida 4 de Fevereiro/Centralidade da Eywa/Mercado do Mutundo, sendo que actualmente decorrem trabalhos de sinalização horizontal, para no final do mês, se fazer a entrega das estradas aos utentes. Decorre, também, a aplicação da última camada na estrada Cine Arco-íris/Casa Pato. Mais infra-estruturas O jardim do centro da cidade do Lubango, localizado junto à Sé Catedral, onde são realizados vários tipos de negócio, vai beneficiar de obras de requalificação, no quadro das obras das infra-estruturas integradas em curso, garantiu o coordenador da empreitada. Com as obras de requalificação, vai-se devolver a beleza estrutural do espaço público e resgatar a hegemonia do Lubango, voltar a ocupar o estatuto de “Cidade Jardim de Angola”. O responsável disse que há um grande interesse do Governo da província em ver a cidade melhorada, com espaços de lazer mais acolhedores e que proporcionem aos cidadãos momentos de repouso e distração. Frisou que as obras integradas do Lubango estão a proporcionar ganhos e contribuir na melhoria da qualidade de vida das populações. “Até Setembro de 2020 os trabalhos terminam e os ganhos já são visíveis, porque actualmente o bairro Machiqueira-Benfica ganhou uma estrada asfaltada de raiz, Maconje-Mitchia, que é a continuidade da avenida 4 de Fevereiro ou Laureano também”, indicou. Disse que actualmente decorre obras de colocação do novo tapete asfáltico na cidade do Lubango e arranjos dos respectivos passeios.

Projecto prevê intervenção nas vias secundárias

Mais de 1,4 mil milhões de kwanzas é o valor que a administração municipal de Caluquembe (Huíla) vai empregar nos programas que visam a satisfação das necessidades da população, nos domínios da energia e água, saneamento básico, vias de acesso, agricultura, anunciou o administrador municipal, José Arão Nataniel Chissonde.
O administrador municipal de Caluquembe informou que parte do dinheiro vai ser gasto para a construção de pontes, habitações pela função, construção e reabilitação de escolas construídas com a participação da comunidade nas
três comunas do município.
José Arão Nataniel disse que a estratégia para a aplicação desses projectos já começou e a sua aplicação, e está alinhada no cumprimento do Programa de Intervenção Municipal (PIM), onde constam várias acções.
O mau estado das vias que dão acesso as zonas de produção de cereais em grande escala, preocupa os camponeses
do município de Caluquembe.
Segundo o administrador local, Caluquembe é um dos municípios celeiros
da província da Huíla.

Fomentar o auto-emprego
As associações do cooperativismo feminino do município de Caluquembe receberam máquinas de costura para
o fomento do auto-emprego.
Foram entregues mais de 20 máquinas de costuras com os respectivos kits (agulhas e kits de bordados) que abrangeram mulheres associadas da igreja Católica, Evangélica Sinodal de Angola (IESA), pelo governador provincial da Huíla, Luís Nunes, que trabalhou naquela circunscrição, onde orientou a primeira reunião de Auscultação e Concertação Social do Governo local.
Por outro lado, mais de 180 salas de aula construídas no município de Caluquembe entram em funcionamento, no III trimestre, informou o administrador municipal local.

AM