Luanda vai acolher na segunda quinzena de Abril, o fórum económico sobre as cidades sustentáveis, anunciou, na passada terça-feira, em conferência de imprensa a directora do Gabinete de Intercâmbio e Cooperação da Comissão Administrativa de Luanda, Alcrésia Cavala.
A responsável revelou que o evento tem como objectivo absorver experiências de modo a conduzir as cidades angolanas ao estatuto de “Cidades sustentáveis”.
De acordo com Alcrésia Cavala, o fórum vai contar com experiências de países como Portugal, Brasil, Macau e Timor, face a sua experiência na elaboração de estratégias conducentes à sustentabilidade, que se traduzem na melhoria dos processos de recolha de lixo, saneamento básico, abastecimento de água e energia eléctrica.

Importância do fórum
Por sua vez, o presidente da Associação Empresarial de Luanda, Francisco Viana, considerou que o fórum é de extrema importância, pois vai juntar sobre “o mesmo tecto”, empresários de todos os Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP), uma oportunidade que servirá também, para estreitar parcerias de negócio que vão contribuir para o crescimento do país.
Francisco Viana lembrou, que o empresariado joga um papel preponderante no desenvolvimento económico das cidades a julgar pela intervenção nos diferentes sectores da economia.
Por outro lado, o empresário sublinhou que, as experiências colhidas nas conferências anteriores, em Macau, Porto e Maputo estão a trazer um valor acrescentado para os participantes.
Para o empresário, é chegada a altura de pensarmos em outras formas de geração de receitas para o orçamento geral do Estado longe do sector petrolífero dado a sua vulnerabilidade no mercado internacional.
Questionado sobre a sustentabilidade das cidades angolanas, Francisco Viana, explicou que Angola precisa caminhar mais rápido para atingir a sustentabilidade, uma missão que só é possível com a intervenção directa do Estado.
Para o também presidente da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), com a emigração das populações para as maiores zonas de concentração populacional, os municípios precisam encontrar novas estratégias para fazer face à demanda.
De recordar, que a UCCLA existe há mais de 30 anos, e integra as cidades de Bissau, Lisboa, Luanda, Macau, Maputo, Praia, Rio de Janeiro e Cidade de Água, em São Tomé.

Maior cidade de Angola
Luanda que também dá nome a província, é a capital e a maior cidade de Angola. Localizada na costa do Oceano Atlântico, é também o principal porto e centro económico do país. Com o fim da guerra, no início de 2002, Luanda buscou retomar o caminho do progresso e do desenvolvimento.
A província de Luanda conta com 6.945.386 habitantes, segundo dados provenientes dos resultados definitivos do Recenseamento Geral da População e Habitação divulgados, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
O censo realizado em 2014 destaca o município de Luanda com maior número de habitantes que é de 2.194.747 e por último está o da Quiçama, com apenas 26.546. Viana tem 1.605.291 habitantes, Belas 1.075.109, Cacuaco 1070.147, Cazenga 892.401 e Icolo Bengo com 81.144.
Segundo a fonte, a província de Luanda tem 369 pessoas por cada km2, sendo o Cazenga com maior densidade populacional.
No concernente ao tratamento da água, apenas 67 por cento dos agregados familiares dá o seu tratamento apropriado. No que concerne a habitação, o documento realça que apenas 58 possui casa própria, 34 reside em casa cedida e sete porcento em casa ocupada ou cedida.
No concernente ao tratamento da água, apenas 67 por cento dos agregados familiares dá o seu tratamento apropriado.
No que concerne a habitação, o documento realça que apenas 58 por cento possui casa própria, 34 reside em casa cedida e sete por cento em
casa ocupada ou cedida.