A fábrica de cimento cola, Mopic vai abrir brevemente no Pólo de Desenvolvimento Industrial de Viana (Luanda), uma nova unidade
industrial, com capacidade para produzir até 2.500 toneladas de cimento cola por dia. A informação foi avançada ao JE, pelo director-
geral, José Rodres, tendo assegurado que para a concretização do projecto, a empresa investiu cerca de 2,8 mil milhões de kwanzas (30 milhões de dólares), destinado para a construção e aquisição de novos equipamentos.

Actualmente, a Mopic conta com uma unidade fabril com capacidade para produzir 350 tonelada/dia (equivalente a 2.400 sacos de 25 quílos/horas). A fábrica ocupa uma área total de 30.000 metros quadrados (m2) e uma área de produção de 20.000 m2.
Segundo a fonte, com a construção da nova unidade fabril, a empresa poderá também aumentar a sua facturação, numa altura em que o mercado nacional de construção civil está cada vez mais activo.
O gestor informou que a indústria usa vários processos para o fabrico dos seus produtos, com realce à lavagem de areia, secagem, calibragem que é o cortês da agronomia dos inertes
e misturas.

Produtos
A fábrica produz todo tipo de arga massas, cimento cola, rebocos prontos para projecção, reboque de aplicação manual, alvenarias, primorizantes e toda gama de juntas coloridas (25 cores), alto nivelantes, além de produtos nirgilosos. A indústria conta com 130 trabalhadores nacionais e 20 expatriados.

Aposta
Consta dos projectos a construção de uma nova unidade fabril para a moagem de carbonatos e calcário (pedras) num investimento de mais de 864,9 milhões de kwanzas (nove milhões de dólares), que irá ocupar uma área total de 10.000 m2. A fábrica terá uma capacidade de produção de 50 toneladas/hora.

Volume de Negócios
Em 2012, a Mopic teve uma facturação de 2,8 mil milhões de kwanzas (30 milhões de dólares). Com a entrada em funcionamento das novas fábricas, o volume de negócio aumentará , prevendo-se bons resultados, segundo o gestor.
Há dois meses, a empresa lançou no mercado ancional dois tipos de cimentos, designadamente “alvenaris” e “reboques manuais”. A fonte adiantou ainda que nos próximos meses irá lançar mais dois novos produtos, um de fixação e um cimento de alta resistência de secagem.
Para a fabricação dos seus produtos, a firma utiliza como matéria-prima areia, carbonatos, cimentos, adquirido no mercado nacional e os outros componentes são importados e provêem dos Estado Unidos da América, Bélgica, Espanha e Itália.