A província de Malanje tem um potencial turístico enorme que precisa de ser transformado em riqueza para a população. Segundo o vice-governador de Malanje para o sector Político, Económico e Social, Domingos Eduardo, que falava, recentemente, na cidade de Malanje, num workshop sobre a divulgação dos estudos de desenvolvimento da cadeia de valor do turismo e lazer, também denominado “Cluster do turismo”, numa iniciativa do Ministério da Economia e Planeamento, em parceria com o governo da província, é preciso valorizar este importante sector. “O Governo tem estado a fazer a sua parte, no âmbito das infra-estruturas, como estradas, energia eléctrica e água para que possam dinamizar a actividade turística”, disse.

Mais investimentos
Domingos Eduardo revelou que o governo da província de Malanje promoveu com os Ministérios da Hotelaria e Turismo bem como o do Ambiente, há cerca de um ano, uma conferência internacional sobre o eco-turismo e informação ambiental, projecto que visou alertar o sector privado a apostar no turismo. Para ele, o Governo não pode fazer tudo, pelo que está a deixar o sector privado assumir o seu papel, no sentido de dinamizar a economia. A nível da província, disse, a preocupação reside no desempenho do Pólo de Desenvolvimento Turístico de Calandula. “Temos acompanhado todas as dificuldades, mas ainda assim, devemos fazer muito mais”, disse o vice-governador de Malanje, depois de frisar que as zonas turísticas da região carecem de maior promoção.

Apoio garantido
O director do Gabinete de Estudos e Planeamento do governo provincial de Malanje, Mário dos Santos, realçou que a Governo, no âmbito do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI) está a desenvolver várias acções no sector do turismo, que visam o aumento da geração de emprego para além da captação de divisas.
Os estudos que têm sido feitos, sublinhou, têm como objectivo apresentar resultados dos trabalhos que estão a ser feitos em Angola, ouvir os empresários qual é a visão sobre as oportunidades de negócio e de investimento para o sector Hoteleiro e Turístico.
Quanto aos créditos para os empresários deste ramo, Mário dos Santos garantiu que a nível do governo local há uma interacção com os bancos comerciais de lhes fazer perceber a importância do empréstimo para a dinamização da cadeia de valor do turismo. “O Executivo tem estado a fazer tudo de modo a persuadir os bancos a cederem os créditos”, adiantou.