Perto de 275 toneladas de frutas e legumes foram colhidas na campanha agrícola 2012/2013, pelo projecto “Kukula ku moxi,” (crescer juntos), que está a ser implementado pela multinacional Odebrecht, na região de Capanda, província de Malanje, envolvendo cerca de 110 famílias agricultoras, num espaço de 221 hectares.

O projecto que está a ser desenvolvido há cerca de cinco anos tem como parceiros o pólo agro-industrial de Capanda (Sodepac), Maersk e Sonangol. Segundo um documento da construtora Odebrecht, a iniciativa está a contribuir para o desenvolvimento sustentável, através de mudanças positivas na qualidade de vida e na ampliação das oportunidades e geração de renda junto das comunidades.

Resultados
O programa presta assistência técnica aos produtores rurais, na ordem de 600 famílias, numa estimativa de 3.000 pessoas que se beneficiam directamente. O programa tem três grandes linhas de actuação. No segmento da geração de renda, tem como perspectiva principal transformar a agricultura familiar de subsistência, em agricultura rentável.

A média de renda gerada pelo programa também aumentou em 2013. Antes do início do programa, a média de renda familiar era entre 10 e 40 dólares por mês. Actualmente, os primeiros bairros que entraram no programa estão a produzir uma média de renda mensal de 129 dólares. Em 2012, um diagnóstico mostrou a média de renda familiar nos bairros da expansão, tendo alcançado 33 dólares por mês.

Além dos produtos tradicionais, com realce para a mandioca, batata-doce e amendoim, foram introduzidos novos produtos, sendo 14 tipos de hortaliças e legumes, que por um lado, oferecem novas oportunidades num mercado crescente, e por outro lado, estão a melhorar a dieta das famílias.

Envolvência
O programa dá apoio completo, desde a produção até a venda dos produtos agrícolas no mercado, auxiliando os produtores na obtenção de bons lucros, estabelecendo relacionamentos de longo prazo com grandes consumidores corporativos, nomeadamente obras, refeitórios, grandes redes de supermercados, restaurantes e hotéis.

A partir desta negociação com o mercado, se estabelece junto com os produtores um planeamento da produção que tem uma constante acção de assistência técnica a 600 famílias produtoras. As acções de qualidade de vida têm duas vertentes principais, com realce para o acesso a água potável bem como a saúde preventiva. O projecto possibilitou a que 10.000 pessoas tivessem acesso a água de qualidade e foram instalados 14 novos sistemas de captação assim como permitiu a reparação de 16 sistemas, além de capacitação da população para a sua manutenção.