A Empresa Nacional de Distribuição (ENDE) na província do Huambo recuperou, desde finais de 2017 ao mês de Maio deste ano, cerca de 716 milhões e 225 mil kwanzas da dívida acumulada pelos seus clientes das cidades do Huambo e Caála.
A informação foi avançada esta semana em declarações à Angop, pelo chefe do Departamento Comercial da ENDE, Claudino Lussati, referindo que a dívida actual estimar-se em mil milhões, 166 milhões e 771 mil, contra os mil milhões, 882 milhões e 996 mil kwanzas, controladas até finais de 2017.
Os consumidores domésticos devem 565 milhões, os órgãos do Estado 277 milhões e as pequenas empresas 138 milhões.
Apontou às campanhas de sensibilização dos clientes sobre a importância do pagamento de energia eléctrica, bem como a cobrança coerciva, mediante os cortes no fornecimento, efectuadas durante o período em análise, como estando na base da redução da dívida.
Em termos de divisões administrativa, apontou o bairro do Benfica como sendo a zona com maiot dívida acumulada, com 71 milhões, ao passo que o bairro do Macoloco é o que deve menos, com apenas seis milhões.
Avançou que a instituição continua a criar estratégias para reaver o total da dívida junto dos consumidores, através do reforço da sensibilização sobre a importância do pagamento da energia, negociação em termos de cobrança e a realização do cortes.
Consta igualmente da estratégia, o alargamento do sistema pré-pago , de modo a garantir maior controlo no processo de facturação e cobrança.