Mil seiscentos e sessenta e cinco hectares de terra estão a ser preparados de forma mecanizada para a campanha agrícola 2019/2020, na província do Bié, com o objectivo de atingir a quantidade da colheita prevista este ano, afirmou o coordenador do Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Familiar e Comercialização (MOSAP II), Romeu Santa Rosa.
A nova filosofia do projecto para a nova campanha agrícola está virada em trabalhar com “blocos compactos” tendo em conta o terreno fértil da região.
Salientou que a área mínima de actuação da campanha agrícola não será inferior a cem hectares para possibilitar a intervenção de vários agricultores.
Sem descrever a quantidade de produtos a ser colhida na campanha agrícola, Romeu Santa Rosa esclareceu que o apoio técnico de forma rápida e precisa “é o método a ser aplicado”.
Trabalhar em blocos compactos para economizar o tempo e os recursos humanos numa dimensão de cem hectares por terra, são os planos em curso pelo Mosap II.

Mais apoios
Por outro lado, cerca de 1.200 agricultores vão ser apoiados nesta campanha agrícola que começa em Outubro, explicou Romeu Santa Rosa.
“O município do Chinguar já tem mais de 200 hectares preparados para a campanha, enquanto os restantes municípios apresentam alguns atrasos, mas os operadores estão a trabalhar para a organização”, explicou.
O coordenador do projecto Mosap II salientou que é objectivo do governo aumentar a produção agrícola em colaboração com diversas instituições ligadas ao projecto.
Romeu Santa Rosa sublinhou que a batata-rena, o milho, o feijão, os legumes, os anti-tubérculos e as hortícolas, são os produtos mais cultivados nesta região centro do país.
A falta de sistema de irrigação, lembrou, está a impedir o rápido desenvolvimento da agricultura pelo facto deste segmento estar a depender directamente das chuvas.
O Mosap II apoia os agricultores de forma directa, através das associações de camponeses organizadas e distribuídas em todos os municípios da província do Bié.

Programa
Cerca de 1.665 beneficiários estão integrados em 41 associações dos camponeses no Bié, estão a ser apoiadas pelo programa Mosap II.
Em relação as escolas de campo ligadas com a actividade agrícola de forma prática e directa, Romeu Santa Rosa explicou que o objectivo é de incentivar os novos métodos de cultivo.
Cerca de 396 escolas de campo estão criadas em algumas comunas dos municípios do Chinguar, Chitembo, Cuito, Camacupa, Catabola, Andulo e Nharea.
Dentro de alguns meses, os municípios do Cuemba e Cunhinga vão beneficiar do projecto ligado as escolas de campo para que os agricultores aprimorem novos conhecimentos sobre a actividade agrícola.
O responsável revelou que, diversificar os produtos cultivados são as propostas transmitidas aos agricultores pertencentes as escolas de campo para aproveitarem a fertilidade dos terrenos de cada município.
A província do Bié tem um tamanho comparável ao de países como Portugal ou República Checa.