O coordenador do Programa Quadro (CPF), Vieira Lopes, fez saber que 200 quadros (físicos) nacionais foram formados em matéria de energia atómica, no âmbito do Programa de Cooperação Técnica da Agência Atómica.
Sem avançar os países em que os especialistas fora formados, sublinhou que, o que o Executivo pretende é fazer recurso à energia atómica para fins pacíficos, nomeadamente saúde, petróleo, ambiente, agricultura,
entre outros sectores.
Segundo o responsável, no âmbito do Programa Quadro, 10 Ministérios vão beneficiar directamente da energia atómica, sendo que os sectores da indústria, petróleo, agricultura
e saúde, já beneficiam.
O workshop visou alertar as autoridades para uma participação mais profícua no âmbito da Energia Atómica, identificar as áreas de cooperação técnica de alta prioridade do Executivo e iniciar a revisão do Programa-Quadro Nacional (CPF) para o período 2019-2023.
O resultado pretendido será o aprimoramento do esboço do CPF 2019-2023 de Angola em curso desde Março de 2018, que servirá de documento estratégico para orientar a cooperação Angola-IAEA no país, nas áreas de ciência e aplicações nucleares.