O plano estratégico para o desenvolvimento da província do Cuando Cubango passa, necessariamente, pela aposta de projectos concretos nos sectores do Turismo e Agricultura, tendo em vista o grande potencial que esta região tem e que precisa apenas de investimentos.
Segundo o vice-governador do Cuando Cubango para o sector Técnico e Infra-estruturas, Antas Miguel, o governo local pretende numa primeira fase, priorizar a potencialização dos parques nacionais de Luengue-Luiana e de Mavinga, assim como os Pólos Agro-pecuários do Vissati (Cuchi), Missombo (Menongue) e Licua (Mavinga), para que a curto, médio e longo prazo se atinja os êxitos preconizados.
“É necessário identificar a linha condutora e estratégica correcta para que a província do Cuando Cubango se desenvolva, para que todos os problemas sociais e económicos que afectam as populações possam ser minimizados”, disse.
Destacou que a província é bastante extensa, com cerca de 200 mil quilómetros quadrados e tem apenas pouco mais de 600 mil habitantes que
vivem nos nove municípios.
“Para outros países 200 mil quilómetros quadrados é para albergar mais de três províncias, devido a esta dimensão e que tem uma população bastante reduzida. Razão pela qual, o governo local debatesse com inúmeras dificuldades para traçar políticas que visam alavancar o desenvolvimento socioeconómico da região”, disse.
Segundo o governante, outra situação preocupante é o facto de o município mais próximo da capital da província do Cuando Cubango estar a 93 quilómetros e o mais distante a 700 quilómetros, onde as vias de acesso estão em estado
avançado de degradação.
Antas Miguel disse que por este facto urge a necessidade de se traçar um plano de desenvolvimento da província do Cuando Cubango que se ajuste a realidade actual, para que a breve trecho os problemas que afligem as populações possam ser minimizados.
Apoio aos empresários
Por sua vez, o director do Gabinete Económico e Desenvolvimento Integrado do Cuando Cubango, Roberto Biwango, garantiu que nos próximos dias, o governo local vai potenciar os empresários nacionais destacados nas diversas localidades da província, para alavancar o crescimento socioeconómico da região.
Salientou que é bastante preocupante o ambiente de negócios a nível da província do Cuando Cubango, tendo em vista que o sector é denominado por cidadãos estrangeiros. Acrescentou que nos municípios do interior os pequenos homens de negócios existentes são todos estrangeiros, situação que dificilmente pode estimular o crescimento económico da província.
“Chegou o momento do governo do Cuando Cubango potenciar os empresários locais, para que não haja disparidade no ambiente de negócios entre os cidadãos nacionais e estrangeiros”, defendeu, para acrescentar que é necessário alavancar o desenvolvimento económico dos nove municípios da província, com realce para os que se encontram na orla fronteiriça com
a Namíbia e a Zâmbia.
Roberto Biwango disse que os empresários locais serão agrupados em associações e cooperativas para que estejam mais organizados e beneficiem dos apoios que serão disponibilizados pelo governo
central por via de créditos.
Garantiu que para além da potencialização dos empresários locais, outra solução para o desenvolvimento do sector produtivo dos municípios do Cuando Cubango passa necessariamente na recuperação das vias de comunicação, para maior e melhor circulação de pessoas e bens.