Um novo sistema de captação, tratamento e distribuição localizado no rio Cuquema, com uma capacidade de 648 metros cúbicos por hora, está a ser construído, na cidade do Cuito, província do Bié. A segunda fase do projecto foi lançado, recentemente, o que vai permitir fornecer água potável aos bairros periféricos e reforçar os actuais níveis de produção.

Ligações domiciliares
O director do Gabinete Provincial de Serviços Técnicos e Infra-estruturas no Bié, Abel Guerra, referiu que já foram instaladas 1.500 ligações domiciliares nos bairros Militar, Jele, Azul 1 e 2. “As obras estão bastante avançadas e já foram efectuados alguns ensaios ao nível da bombagem de água bruta para a zona de tratamento, estando a empresa chinesa contratada a trabalhar na instalação de equipamentos electromecânicos”, afirmou. Com a conclusão deste projecto, entre os meses de Outubro e Novembro serão contemplados cinco mil ligações. O responsável adiantou que, recentemente foi aprovado um outro projecto, no quadro do programa do desenvolvimento do sector das águas, numa parceria com o Banco Mundial, onde estão previstas outras cinco mil ligações domiciliares, cuja empreitada começa ainda este ano. “A empresa TSE foi contratada e estamos a trabalhar com a Empresa de Águas do Bié, na identificação de alguns focos, que ainda faltam ao nível dos bairros periféricos, como a Zona 5, Catemo, Chissindo e outras zonas cinzentas, que com estas cinco mil ligações possamos fazer a ligação do precioso líquido”, destacou.

Contadores pré-pago
Os principais bairros urbanos do município do Cuito estão a beneficiar da instalação de contadores pré-pago, para facilitar o consumidor a pagar o que consumiu e não por estimativas, como a Empresa de Águas do Bié cobrava anteriormente. Para usufruir do sistema de cobranças pré-pago, o cliente deve pagar a factura em atraso e só assim passa a usar o novo contador, uma situação que está a deixar alguns consumidores embaraçados, visto que a Empresa de Água do Bié debatendo-se com problemas de emissão de facturas, o que faz alguns clientes terem mais de três meses por pagar. Na centralidade “Horizonte” do Cuito, alguns clientes louvaram a iniciativa dos contadores pré-pago, mas lamentam o facto de terem pouco tempo.