Um dos aspectos importante para o desenvolvimento da província da Huíla, é a necessidade de serem melhoradas as vias de comunicação, reconheceu o governador Luís Nunes.
Falando na tradicional cerimónia de cumprimentos de fim de ano, reconheceu que, as acções concretas já foram realizadas, com destaque na melhoria da via, considerada importante no corredor do milho, que liga os municípios de Quipungo-Chicomba, cujas obras de melhoramento reduziram o tempo de durabilidade de viagem, de três horas para uma.
Informou que também está a ser intervencionada a via Cuvango-Chipindo, que de igual modo, vai trazer maior conforto na mobilidade de pessoas e bens, numa área de extrema importância, pelo potencial minério e agrícola, que a mesma possui.
Garantiu que outros troços, beneficiarão também de intervenção com a implementação de projectos do Programa Integrado de Intervenção Municipal (PIIM).
Ainda no âmbito da mobilidade, destacou, as inúmeras obras de requalificação das vias na cidade do Lubango, que vieram facilitar a mobilidade.
Destacou ainda os serviços de transporte colectivo público, que a cidade do Lubango beneficiou, garantindo o acesso às populações.

Criação de gado
O governador da Huíla, Luís Nunes, reconheceu o empenho que tem sido feito para se aumentar os níveis de produção agrícola, na província, bem como da criação de gado, das mais variadas espécies, que representam uma riqueza inigualável das populações locais, para que a província contribua para a redução da fome e da pobreza e ser fomentada a capacidade gerar riqueza em prol das famílias.
“Congratulamo-nos com a participação efectiva das diversas cooperativas agrícolas sedeadas na província, que em resposta, ao nosso apelo, de que devemos todos nos engajar para o alcance dos objectivos preconizados, não tem medido esforços para o efeito, trilhando deste modo, o caminho para a diversificação da economia, que devem estabelecer e sedimentar os seus processos organizativos, produtivos, com o objectivo de almejarmos a substituição das importações, de forma a se valorizar a produção interna, como contributo para a diversificação da nossa economia”, disse.
Salientou que, no ano preste a terminar, foram distribuídas kits de mecanização agrícola e diversos insumos para incentivar a produção agrícola, numa perspectiva de implementação efectiva do PAC, enquadrado no PRODESI.
Reconheceu os efeitos negativos causados pela seca na região, com principal enfoque, às populações dos municípios dos Gambos, Chibia e Quilengues, e por isso, acções de apoios vindas do Executivo e do governo provincial foram feitos com vista a mitigar os mesmos.
A província beneficiou de um total de 810 toneladas de bens diversos, e distribuídos às populações afectadas.
A Huíla, informou, recebeu já 754 moto cisternas, tendo sido montadas e distribuídas 302, encontrando-se as demais no processo de montagem.
Informou que também foram construídos novos e reabilitados antigos pontos de água, cujos resultados já são visíveis, às populações que hoje têm acesso ao líquido e dar de beber ao gado.
“É uma certeza que vamos continuar a encetar esforços para mitigação os efeitos da seca, e por isso, parabenizo toda sociedade civil, que não mediu esforços e se envolveu massivamente na campanha de recolha de donativos em prol das vitimas da seca”, disse.

Abastecimento de energia e água
Informou que para minimizar as necessidades de energia eléctrica, o governo provincial da Huíla, ao longo do ano, adquiriu quatro geradores de 600 KVA cada, para beneficiar os municípios de Chicomba, Cuvango, Caluquembe e Chibia, que vieram reforçar a capacidade de geração de energia pelas centralidades térmicas.
“Ainda temos em curso a construção da subestação eléctrica da Humpata, cujo término está previsto para 2020, e vai melhorar a capacidade de produção de energia para o município da Humpata, Chibia e parte da cidade do Lubango”, adiantou.
O governador provincial da Huíla anunciou estar em carteira, o projecto de produção de energia, através das centrais hídricas, com o objectivo de reduzir a produção de energia pelas centrais térmicas, por formas a ser salvaguardado o meio ambiente, atreves dos estudos de impacto ambiental.
“Todos estes esforços virão proporcionar o melhor consumo por parte das famílias e de igual modo, garantir a sustentabilidade aos diversos projectos industriais que se pretende fazer na província”, sublinhou.

Habitação
A inauguração da centralidade da Quilemba, com mais de 8 mil casas, é um ganho para a Huíla.
Explicou que como primeiras acções para a efectivação do direito a habitação, constitucionalmente consagrado, foram já beneficiadas diversas famílias que habitavam em condições precárias, no famoso bairro do Camazingo, mas que clamavam de melhores condições de vida.
Acrescentou que actualmente, já se encontram a residir na centralidade da Quilemba, varias famílias.
“Vamos ao longo do ano responder a necessidade de mais outras famílias que clamam pelo sonho da casa própria, e que virão beneficiar das inúmeras residências a nível da centralidade da Quilemba”, garantiu.
Salientou que no domínio da habitação, foram, igualmente, atribuídas ao longo de 2019, mais de 50 casas evolutivas construídas na urbanização da Eywa, a diversas famílias e perspectiva-se em 2020, a entrega de mais de 120 casas na mesma urbanização, para completar 175 casas em benefício de famílias que viviam em zonas de risco no Lubango.

Perspectivas
O ano de 2020 vai colocar em presença de inúmeros desafios para a província, que com a tenacidade, que caracteriza as autoridades locais, propôs-se mais uma vez arregaçar as mangas, ir à luta na busca de mais realizações em prol da satisfação do interesse das populações.