Os participantes da conferência internacional sobre o “Ecoturismo e informação ambiental”, que decorreu no município de Calandula, em Malanje, pediram ao Executivo angolano a gizar um programa ambicioso para adoptar o país de uma rede viária em condições, a fim de facilitar os turistas nacionais e estrangeiros a chegarem nos pontos mais recônditos.
Para o empresário Mawete João Baptista, a par de outras províncias do país, Malanje tem vários encantos turísticos, e que a conferência foi importante, numa altura em que o “Executivo está a trabalhar no sentido de alavancar o sector turístico, considerado vital para o desenvolvimento socioeconómico de Angola”.
Por sua vez, o empresário agrícola José Semedo, um dos angolanos que integrou a equipa de especialistas e pesquisadores internacionais revelou que com estas acções, o país está a traçar estratégias para o desenvolvimento de um turismo sustentável.
Durante a expedição, disse, o grupo de “avituristas” descobriram em várias localidades da província de Malanje aves raras, como é o caso do pássaro de cabeça branca única ave que existe a nível da nossa zona e do mundo, e que está em fase de extinção, bem como algumas espécies de animais.

Valorizar o turismo
Para o especialista do Ministério do Ambiente, Rui Lisboa, o turismo é o parceiro ideal para a protecção da biodiversidade e que a actividade deve ser feita de forma sustentável.
Informou que a Organização Mundial do Turismo definiu um conjunto de princípios para o desenvolvimento do turismo que inclui o uso eficiente de recursos naturais que constituem um elemento chave para o desenvolvimento do turismo.
“O ecoturismo é um segmento que utiliza de forma sustentável o património natural e cultural, susceptível a conservação e na busca de uma consciência ambientalista promovendo o bem-estar das populações locais”, disse.
Para o director provincial de Malanje do Gabinete de Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários, Neves António, a realização da conferência internacional do ecoturismo traz grandes benefícios do ponto de vista não só ecológico mas também turístico, uma vez que Malanje dispõe de muitas áreas turísticas.
Já o administrador municipal de Calandula, Pedro Dembue, referiu que a conferência constituiu “uma grande oportunidade” para a divulgação das potencialidades do município e uma projecção para o mundo.
Disse que além das quedas de Calandula, a região conta ainda com as quedas de Musselege, Mbango a Zenza, Macata Lando, entre outros activos que se associam ao ecoturismo.

Bolsas de estudo
O embaixador da Índia acreditado em Angola, Srikumar Menom, garantiu que o seu país está disponível para fornecer bolsas de estudo ao Governo angolano e a província de Malanje, para formar quadros superiores na área de guias turísticos.
Já o embaixador da Espanha em Angola, Manuel Rui Gomez, que também esteve no evento, revelou que a Espanha é uma potência na vertente do turismo.
Referiu que a Espanha foi o segundo país a receber 82 milhões de turistas no mundo em 2017, e por isso, pretende passar a sua experiência para Angola, tendo em conta as relações de amizade e de cooperação de longa data entre os dois Governos.

Resultados animadores
Na conferência internacional sobre ecoturismo realizada por iniciativa do governo da da província de Malanje em colaboração com a empresa espanhola Satec foi apresentado o resultado da expedição audiovisual de aves desenvolvida de 1 a 19 de Julho, em 10 províncias do país, pelos especialistas na observação de aves, nomeadamente Dubi Sapiro,
Philip Johson e Noam Sany.
A conferência juntou empresas nacionais e internacionais, empresários e técnicos dos ministérios do Ambiente e do turismo.
A operação que envolveu angolanos que actuam no ramo do turismo, permitiu a descoberta de 14 espécies de pássaros que só podem viver em Angola, algumas das quais em vias de extinção.