Três mil milhões de dólares norte-americanos é o valor a ser investido, por um consórcio privado, para a recuperação da Empresa Nacional de Pontes (ENP) e o pagamento dos salários em atraso dos trabalhadores.
Neste âmbito, o consórcio privado “CRBGA”, composto pelas empresas angolanas Adisandra e Front, e a CRBG chinesa, e a Empresa Nacional de Pontes assinaram nesta sexta-feira, em Luanda, um acordo de cooperação e reestruturação estratégica da ENP.
O representante do consórcio, Liu Huoyuan, manifestou o interesse em participar no plano de reorganização da Empresa Nacional de Pontes.
“Vamos ajudar a liquidar as dívidas da empresa, criar mais lucros e demonstrar como gerir no futuro”, disse.
Por sua vez, o director-geral da Empresa Nacional de Pontes, José Henriques, explicou que a divida geral da ENP está avaliada em 15 milhões de dólares norte-americanos, enquanto os ordenados com os trabalhadores está orçado em 12 milhões de dólares. Os trabalhadores da Enp estão quase há cinco anos sem salários.