A construção da rede de transporte de energia eléctrica ao município de Kalandula, província de Malanje, será concluída até Dezembro do corrente ano.
Segundo uma nota do governo provincial de Malanje a que o JE teve acesso, a “boa nova” foi dada ao governador local, Norberto Fernandes dos Santos “Kwata Kanawa”, que se deslocou, recentemente, àquela região, para aferir o estado das obras que após a conclusão vão facilitar o estabelecimento de vários serviços ao município, com um grande potencial turístico.
A obra adjudicada à construtora Odebrecht envolve a construção de uma linha de transporte de 110 Kw e subestação na sede municipal.
Kalandula é o município onde se encontram a segunda maior cascata de água de África além de outras como Musselege e Mbangu a Nzenze.

Potencial por explorar

O aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca, com uma potência nominal de dois mil e 70 Megawatts (MW), entrou em exploração comercial em Agosto de 2017 e está a funcionar actualmente com quatro das seis turbinas previstas, de 334 MW cada.
As restantes entram em funcionamento este ano. A barragem de Laúca contará também, a partir de 2020, com uma central ecológica de 70 MW.
Laúca supera o dobro da capacidade das duas barragens, Cambambe (960 MW) e Capanda (520 MW), com as quais divide o médio Kwanza e reduz, em certa medida, o défice na produção de energia no país.
O país explora apenas cinco por cento da potencialidade que dispõe em energia hídrica. Estudos revelam que Angola dispõe de 159 locais com potencial para grandes aproveitamentos hidroeléctricos.