O governante que falava num encontro de auscultação com as autoridades tradicionais oriundas dos seis municípios, disse que essas acções de aproveitamento por parte de cidadãos devem ser reprimidas e condenadas, pois a situação actual exige partilha de recursos (água e pastos) para sobrevivência dos animais.
Virgílio Tyova sublinhou que o assunto deve ser resolvido imediatamente com as administrações municipais para se travar essa prática que afecta os animais em transumância.
Garantiu que esforços continuam a ser envidados para se reverter a actual situação que afecta também a população.
Actualmente estão no processo de transumância 179 mil animais no Cunene.
Por falta de pasto e água no Cunene já morreram 26 mil, 267 animais a nível dos seis municípios, uma realidade triste e a única saída para os criadores é a transumância procurando zonas de pasto.
Em Abril último uma equipa do Núcleo de Águas Subterrâneas (NAS) do Ministério da Energia e Águas (Minea), munida de meios, trabalhou na província, para abertura de novos furos de água e a reabilitação dos actuas no âmbito das acções para mitigar os efeitos da seca nessa região sul do país.
Os novos furos estão a servir para aumentar a capacidade de captação e disponibilização de água, quer para consumo humano, quer para abeberamento do gado, em tempo seco ou de escassez pela seca.