A serem edificadas no âmbito do programa de formação de quadros para o sector, as escolas, segundo o director-geral do Instituto de Fomento de Turismo (Infotur), Eugénio Clemente, que falava recentemente à Angop, serão implantadas nas províncias de Luanda, Huambo, Huíla, Moxico, Benguela e Uíge.
Na Huíla, a escola que vai albergar alunos das províncias do Namibe,Cunene e Cuando Cubango,será construída na zona do estádio da Tundavala, a partir da segunda quinzena deste mês e terá um orçamento de mais de 25 milhões de dólares.
A província do Huambo vai acolher formandos do Bié , Malanje e Moxico , cobrindo ainda as Lundas Norte e Sul. A escola do Uíge será frequentada por alunos do Zaire e Cabinda, enquanto Luanda albergará os do Bengo e Cuanza Norte, ficando Benguela com
os candidatos do Cuanza Sul.

Mais investimentos

Além desta iniciativa, o director disse que o instituto precisa de mais de 10 milhões de dólares americanos/ano, para desenvolver e capitalizar projectos ligados ao sector.
O valor servirá para criação de condições para que o Infortur arrecade receitas através de fundos internacionais, assim como o relançamento do turismo fluvial.
Pretende-se com esta iniciativa implementar acções ligadas à realização de feiras e conferências internacionais de turismo, dinamização de eventos nacionais divulgação dos sítios existentes no país e entre outras acções.
Outro desafio passa pela transformação do instituto num instrumento de promoção do turismo de Angola, bem como o seu posicionamento no país e no exterior.
Explicou que o país tem que ter uma rede de escolas de hotelaria para garantir a qualidade e quadros preparados para fazer o turismo acontecer nas localidades como Cunene, atraindo namibianos e em Cabinda para buscar turistas dos dois Congos.
O Instituto de Fomento de Turismo (INFOTUR) foi criado em 2000, com objectivo de promover a actividade turística em Angola.