Governo provincial do Kuando-Kubango aborda programa de apoio às MPME e a delegação do BNA lançou a campanha de educação financeira às populações locais.


A acção combinada dos esforços empreendidos pelo Executivo angolano e a vontade de fortalecimento da capacidade empresarial das populações tem em vista, nos últimos tempos, a concretização dos programas de relançamento da produção interna e uma maior participação dos nacionais nas várias áreas de negócio.

Diversificar a economia, através da diminuição da sua dependência do petróleo, e alavancar sectores adormecidos, como a indústria, o comércio e a prestação de serviços, alinham nas principais intenções.

Foi para atender a este desiderato que, recentemente, o Governo Provincial do Kuando-Kubango reuniu a classe empresarial para dar a conhecer os passos com vista à implementação do Programa de apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME), conduzido pelo Ministério da Economia. Paralelamente, o Banco Nacional de Angola, através da delegação regional do Huambo, que superintende as províncias do Huambo, Bié e Kuando-Kubango, lançou em Menongue, a campanha de educação financeira das populações com a oferta dos produtos “Conta Depósito Bankita” (CDB), aberta com apenas 100 kwanzas, e a “Poupança Bankita a Crescer” (PBC), subscrita com um valor mínimo de mil kwanzas. Vale recordar que participam nesses programas nove bancos comerciais, designadamente de Poupança e Crédito (BPC), Sol, de Negócios Internacional (BNI), de Fomento Angola (BFA), Internacional de Crédito (BIC), Regional do Keve (BRK), Comercial Angolano (BCA), BAI Micro Finanças (BMF) e o de Comércio e Indústria (BCI).

Incentivo ao empresariado

No caso dos empresários e empreendedores que actuam no Kuando-Kubango, a mensagem do Executivo passada através do vice-governador para a Área Política e Social, Pedro Camelo, resume-se na necessidade de os agentes económicos formalizarem as suas actividades. Para tal, basta a sua inscrição no Balcão Único do Empreendedor (BUE), já operacionalizados junto das administrações municipais e, deste modo, beneficiarem de todos os incentivos criados para a recuperação do tecido empresarial local. O momento serviu para se destacar que o facto de o Executivo assumir, por via do fundo de garantia que criou, a cobertura do pagamento de até 70 por cento dos juros (como taxa de bonificação) revela e bem o interesse da governação em ter empresários e empreendedores fortes, capazes de liderarem a recuperação da produção interna.

Pedro Camelo, que presidiu à abertura do evento, disse ainda ser importante a conjugação de interesses para que, de forma exitosa, se possa aplicar o programa de apoio.

“É nossa convicção que todos, sem excepção, nos movamos deste sentimento de tudo fazer, para que, no final, possamos nos orgulhar de termos sido determinantes na implementação existosa deste programa, que visa dar dignidade aos angolanos”, disse.

Por sua vez, a vice-governadora para a Área Económica, Verónica Mutango, que fez o lançamento da campanha de educação financeira, nos arredores do bairro da Paz, lembrou que todos os incentivos que têm sido operacionalizados indicam também a crença do Executivo numa terra onde o progresso caminha em paridade com o trabalho e a boa vontade do seu povo.

“O lançamento do programa “Bankita” abre uma nova era no desenvolvimento socio-económico da região. É um projecto que abre uma nova era na província, porque acreditamos que se vai estender para os restantes municípios, com vista a minimizar as inúmeras dificuldades que se constatam neste sector”, afirma.

Segundo a vice-governadora para o Sector Económico, com o acto, será possível e facilitada a implementação da política do Governo sobre a bancarização das finanças dos cidadãos.

Verónica Mutango referiu que o programa financeiro vai igualmente potenciar a actividade económica no município sede de Menongue e na província do Kuando-Kubango no geral, que continua a dar sinais de crescimento e melhoria da vida da população local.

Neste contexto, a governadora em exercício apelou a todos a cumprirem com as normas e regulamentos que estão subjacentes ao exercício bancário para melhores resultados e êxitos.

Leia mais sobre outros assuntos da actualidade na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já nas bancas