A Empresa Nacional dos Diamantes de Angola “Endiama E.P.” tem disponíveis 720 milhões de kwanzas para proceder o estudo de diagnóstico e o levantamento das ravinas existentes na região Leste do país, que inclui as províncias da Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico, informou na passada quarta-feira, em Saurimo, a administradora para a área da Geologia e Desenvolvimento Mineiro da empresa, Ana Feijó.
Ao falar na cerimónia de apresentação do programa de combate às ravinas, a responsável disse que para cada província estão disponíveis 240 milhões de kwanzas.
Disse ainda, que na primeira fase desta empreitada estão previstos apenas o levantamento e diagnóstico, caracterização e estudos do solo, que decorrerá durante um ano, para posteriormente se elaborar um programa definitivo para se iniciar o estancamento das mesmas.

Parceria
Fez saber também, que a actividade está a ser desenvolvida em colaboração com os Ministérios da Construção e Obras Públicas e do Ambiente, acrescentando que a Endiama para além dos recursos financeiros disponibilizou igualmente técnicos.
Adiantou que a província da Lunda Sul, por estar já avançada neste domínio, como os locais onde se encontram as ravinas, níveis de progressão e com algum trabalho paliativo realizado, algumas delas podem começar a ser estancadas ainda este ano.
Na província da Lunda Sul estão identificadas um total de 50 ravinas nos quatro municípios que compõem a região, nomeadamente Cacolo, Dala, Muconda e Saurimo.
O município de Saurimo lidera a lista de ravinas com 28 e algumas com o nível de progressão preocupante.

Causas
O estudo apresentado pela Empresa Pública de diamantes de Angola apontou as “elevadas” quedas pluviométricas como a origem das ravinas nas províncias da Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico.
Segundo a administradora da Endiama para a Área da Geologia e Desenvolvimento Mineiro, Ana Feijó, que apresentou o referido projecto, cada uma destas províncias precisa anualmente de um milhão de dólares para a aquisição de equipamentos e remuneração do pessoal para fazer frente a este fenómeno.
Ana Feijó frisou que o estudo consistiu na avaliação dos solos, elaboração do mapa de susceptibilidade e riscos da erosão hídrica.
No entanto, as autoridades locais advogam a instalação de capacidades técnicas locais para intervenção que se justificar pontual.
Dados institucionais referem que a província da Lunda Norte regista mais de 70 ravinas de diferentes proporções, um fenómeno em constante progressão e que ameaça destruir infra-estruturas económicas e habitacionais.