O ministro de Energia e Água, João Baptista Borges, apelou aos agentes industriais que exploram água na efectivação da sua actividade à pagarem os valores monetários pela quantidade consumida, conforme o regulamento de utilização geral dos recursos hídricos  aprovado pelo Decreto Presidencial.          
O governante que falava durante  a assinatura do protocolo  quinta-feira, em Luanda, entre o seu Ministério e o da Indústria que visa a partilha de dados, sobre a utilização geral dos recursos hídricos alertou para a necessidade de se cumprir com às medidas da preservação do ambiente e honrar os seus compromissos conforme os acordos contratuais.
O documento rubricado entre  João Baptista e a ministra da Indústria, Bernarda Martins tem    como um dos objectivos a partilha de informações referentes às unidades industriais, com vista o apoio à fiscalização e implementação do regulamento de utilização geral dos recursos por força do Decreto Presidencial.

Protocolo
O protocolo tem ainda como  mote estabelecer mecanismos para a definição de locais adequados à implementação de pólos industriais, tendo em conta as directrizes e toda a informação relevante, incluída nos Planos de Gestão e Desenvolvimento e utilização Geral dos Recursos Hídricos das bacias Hidrográficas  nacionais e no Plano Nacional da Água.
Fomentar a utilização de novas ferramentas que permitam uma gestão eficiente dos recursos hídricos e das actividades industriais, para tornar mais eficaz o relacionamento institucional existente entre o Ministério da Indústria e o Instituto Nacional de recursos Hídricos,
consta do programa.
Segundo o ministro, o protocolo entre os dois ministérios vai também coordenar as actividades de fiscalização de forma a assegurar o cumprimento da legislação aplicável às actividades industriais e à gestão, preservação e utilização
dos recursos em causa.
Para João Baptista,  com a assinatura dos acordos as partes têm a obrigação de estabelecer mecanismos  de controlo das descargas de efluentes nos corpos de água proveniente da actividade industrial, bem como disseminar a informação  e transferência  de tecnologia aplicável ao sector industrial e à gestão, preservação e utilização
dos recursos hídricos.

Cooperação
Os dois Ministérios vão promover a partilha de informação no que toca às actividades industriais, nomeadamente licenças emitidas,e  solicitações de títulos de utilização dos recursos hídricos.
O reforço da cooperação entre esses organismos, numa perspectiva de protecção e valorização dos recursos hídricos e desenvolvimento da indústria, e definir estratégias para a utilização racional e sustentável das actividades industriais faz parte do protocolo assinado.
Por sua vez, a ministra da indústria, Bernarda Martins instou aos industriais a licenciarem-se para o consumo da Água em grandes quantidades e pagar as suas obrigações, conforme o regulamento estabelecido.
“Grande parte das indústrias instaladas em todo o país usam água para o exercício da sua actividade, como por exemplo as  empresas  de engarrafamento da água, daí ser necessário regular a actividade, bem como a água consumida”, disse.