A I edição da Feira Internacional “Expo-Cabinda” serviu para promover as trocas comerciais e a produção de bens e serviços da região. O projecto foi uma iniciativa conjunta entre o Governo da Província de Cabinda e a Feira Internacional de Luanda (FIL).

A  “Expo-Cabinda” que decorreu de 25 a 28 de Maio contou com a participação de 220 expositores locais e provenientes das províncias de Benguela, Namibe, Luanda e Zaire, além de agentes económicos oriundos da Alemanha, Congo Brazzaville, Congo Democrático,
China e Portugal.

No evento, estiveram representados sectores como o dos petróleos, construção, agro-pecuário, indústria transformadora, turismo, hotelaria, transportes, agro-industrial, serviços e auto-maquinação.

A “Expo-Cabinda 2013” teve como objectivo dinamizar parcerias estratégicas de negócios e do fomento de uma base sustentável de desenvolvimento, de criar oportunidades de atrair investidores através da divulgação das potencialidades existentes na região, bem como da abertura de uma plataforma de diálogo entre o governo local e o sector privado.

O certame visou também contribuir para a recuperação e o relançamento da actividade agro-industrial, do turismo e comércio, assim como estimular as parcerias entre as empresas nacionais, locais e estrangeiras. Dar visibilidade às potencialidades e oportunidades de negócios que a região oferece também foram as metas atingidas na Feira Internacional de Cabinda.

Durante o período da realização da “Expo-Cabinda 2013”, o governo provincial e a Feira Internacional de Luanda promoveram o I fórum empresarial para capacitar empresários locais e os expositores participantes que serviu para traçar estratégias de sistemas de apoio e de incentivo ao empresariado da região e nacional.

Dinamização económica
De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Feira Internacional de Luanda, Matos Cardoso, a I Feira Internacional de Cabinda marcou o início de dinamização da economia da província, pelo facto de possuir recursos necessários para impulsionar a economia local, que podem tornar a região mais forte nas trocas comerciais entre Ponta-Negra e o Baixo Congo.

Segundo Matos Cardoso, a “Expo-Cabinda 2013” vai permitir aos empresários locais e do país elevarem o seu grau de criatividade, de competência profissional e de uma cultura de criação de parcerias e negócios com os empresários estrangeiros para o crescimento da economia angolana.

“Precisamos de criar as condições para que a juventude desta província se integre também no processo de dinamização da economia e na participação de geração de empresas, criando novas indústrias, de modo a tornar a província e o país um importante autor da economia regional e mundial”, disse Matos Cardoso, para quem a dinamização da economia de Cabinda passa pelo processo de construção de vias de ligação, com vista a permitir o escoamento dos produtos e a recepção de outros para facilitar uma interacção maior com uma economia global.

Matos Cardoso referiu que, com a realização da actividade, os empresários locais vão esperar manter parcerias com os investidores estrangeiros, do Congo Brazzaville e do Baixo Congo para as trocas comerciais, de produtos
de bens e serviços.