Agovernadora provincial do Bengo, Mara Quiosa, disse, recentemente, que as obras das infra-estruturas integradas de Caxito, embora estejam agora num ritmo mais lento, o Ministério das Finanças está a trabalhar para o financiamento do projecto.
Em declarações à imprensa, no final de uma visita aos vários projectos em curso na região, na companhia do ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, disse que as obras com um prazo de execução de 18 meses, actualmente esgotados, pois a falta de financiamento esteve na base do seu atraso, e consequentemente a sua não conclusão nos prazos previstos.
Revelou que quando concluído os 12,60 quilómetros em Caxito, numa primeira fase, vai garantir melhor qualidade de vida e saúde à população, melhorar a mobilidade nas vias do casco urbano e limitar o tráfego de veículos pesados.
Por sua vez, Manuel Tavares de Almeida, sugeriu maior concertação entre os Ministérios das Finanças e da Construção e Obras Pública, pois a falta de pagamentos está a criar constrangimentos na aquisição do betume para a conclusão do tapete asfáltico.
Troço Nambuangongo/Caxito
Na ocasião, o ministro da Construção e Obras Públicas assegurou a existência de orçamento para a retoma das obras e conclusão da estrada da zona agrícola de Nambuangongo/Caxito, no Bengo.
O governante sublinhou a necessidade urgente da conclusão do referido troço.
A estrada, que durante quatro anos esteve paralisada por falta de financiamento tem sido o principal empecilho para a circulação das populações e bens. Quando concluída abrirá boas perspectivas para a região, que tem o seu potencial agrícola e florestal ainda por explorar.
Manuel Tavares de Almeida revelou que quanto aos danos existentes no troço já construído vão ser reparados e corrigidos, para que em tempo oportuno seja entregue com condições de trafegabilidade.
Para a governadora provincial do Bengo, Mara Quiosa neste período de chuvas as vias de comunicação, para a região continuam a ser o principal constrangimento na circulação automóvel.
“Com a vinda do ministro da Construção e Obras Públicas, estamos satisfeitos porque as obras da estrada do Onzo/Muxaluando, bem como as de Caxito vão conhecer outro ritmo na sua execução”, disse.
Fez saber que quando estiver concluída vai dar maior mobilidade aos automobilistas, às populações e bens desta região, que é fortemente agrícola, podendo atrair potenciais investidores.
O município de Nambuangongo possui uma população estimada em 61.024 mil habitantes, a sua maioria dedica-se à agricultura de subsistência, caça, pesca e actividade florestal.