O ano agrícola na província do Bié ainda não terminou, mas já é considerado positivo por causa dos resultados da safra, segundo o director do Gabinete provincial da Agricultura, Marcelino Sandemba, durante o acto de encerramento do presente ano agrícola, no município do Chinguar (Bié) testemunhado pelo secretário de Estado para as Florestas, André de Jesus Moda e pelo governador do Bié, Pereira Alfredo. Por exemplo, na localidade do Cangala (Chinguar), onde foi aberta a campanha agrícola nacional de 2018/2019, os agricultores estão a colher entre cinco e seis toneladas de milho por hectare, o que encantou André de Jesus Moda. Contas feitas, seis toneladas por hectare, multiplicadas por 350 plantados com milho, pode-se colher 21 mil toneladas, muito além das perspectivas, segundo Marcelino Sandemba.“Estamos a colher entre cinco e seis toneladas de milho por hectare, muito além das nossas perspectivas”, afirmou em entrevista à RNA no Bié, o director da Agricultura. Os bons resultados são fruto da aplicação do calcário e da sementeira feitos depois de um mês da preparação da terra. Na província do Bié prevê-se colher mais de 300 mil toneladas de milho, através dos agricultores familiares associados. O director da agricultura no Bié assegurou que o Governo vai manter a aposta na agricultura familiar como forma de consolidar este tipo de agricultura. “Essa consolidação passa por aumentar os conhecimentos dos camponeses organizados e pequenos agricultores para aumentarem o rendimento por hectare, apoiá-los com acções de mecanização, entrega de sementes e correcção dos solos”, disse.

Ganhos
Durante o acto de encerramento da campanha agrícola 2018/2019, o secretário de Estado para as Florestas, André de Jesus Moda, reiterou o apoio do Governo em continuar a apostar na
agricultura familiar.
O governador do Bié, Pereira Alfredo, agradeceu o apoio que a província tem recebido por parte do Ministério da Agricultura e Florestas.
“Agradeço pelo apoio que o Ministério tem feito ao governo do Bié no apoio à agricultura familiar”, disse.

Expositores satisfeitos

Os expositores da 8ª edição da Feira da Banana manifestaram a sua satisfação pelo nível de organização e o número de visitantes, que contribuíram na realização dos seus negócios.
Em declaração ao JE, o administrador da empresa Angospencer, Anatoli Gomes, disse que durante os três dias de Feira foi possível fazer vários contactos, que poderão
resultar em “bons negócios”.
Anatoli Gomes fez saber que a empresa expôs matérias de construção civil, como janela, portas e maquetes, sublinhado que estão no mercado há 11 anos.
Explicou que a Feira da Banana é uma oportunidade de negócios e tem ajudado no volume de clientes que solicitam “os nossos trabalhos, como na construção de casas, enchimento de laje e na venda de chapas de zinco”.
Por sua vez, o director-geral da “Agroawa”, Bernardo Carvalho, fez saber que o grupo esteve representado por cinco empresas, com realce
para o sector Agrícola.
Disse que o grupo tem como foco principal, o financiamento dos pequenos agricultores, apresentado no mercado uma gama de serviços de apoio aos agricultores familiares, em resposta aos apelos e políticas do Governo.
Gil Monte Negro, representante da cooperativa Chingombo, do município dos Dembos (Bengo) disse que o objectivo da participação foi o de mostrar o que a região tem para oferecer a Angola, em termos agrícolas.
O destaque recai para o café, banana, dendém, abacate e o maruvu (bebida muito consumida na região).
Gil Monte Negro disse que por falta de apoio, a cooperativa tem perdido muitos cafezais, numa altura em que possui 800 hectares de café e palmares.

Pango Aluquém destaca-se
Por seu turno, o administrador-adjunto do município de Pango Aluquém (Bengo), João Silvestre Sérgio, disse que a Feira faz parte da actividade  do Governo para mostrar as potencialidades  agrícolas produzidas nos municípios.
O evento, avançou, serviu para o município mostrar aquilo que dispõe, já trouxe para expor maracujá, banana,  rosa de porcelana, mandioca e jinguba.
Na ocasião, o responsável fez saber que, ainda este ano, o município vai realizar a Feira do Maracujá, tendo em conta as potencialidades que a região tem neste produto. PB e AF