Os 160 expositores da feira agro-industrial da província do Huambo, que decorre de 10 a 30 de Novembro, no pavilhão multi-usos Osvaldo Serra Van-Dúnem, consideram que a sua realização está a criar oportunidades de negócio.

O evento, promovido pela Direcção Provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo, visa saudar os 40 anos da Independência de Angola e conta com a participação dos agentes económicos colectivos, dos quais a câmara provincial do comércio, a associações dos hotéis e similares da província, câmara de agricultores, associações camponesas, bem como empresários nacionais e estrangeiros.

Durante a feira da “Dipanda”, os participantes expõem produtos do campo, manufacturados, electrónicos e do ramo industrial. Os municípios que compõem a província do Huambo estão representados.

Promover potencialidades
O coordenador da feira, Fernando Torres, disse que o objectivo do evento é promover um conjunto de políticas e instrumentos destinados à criação de um ambiente propício para o crescimento e desenvolvimento, que favoreçam o relançamento económico da região, através da criação de incentivos financeiros para o sector agrícola e industrial.

A expositora Carla Paulo, da empresa Arquiplasa, vocacionada ao estudo, projectos consultoria, fiscalização e jardinagem, disse que eventos do género devem ser realizados mais vezes, pois é aí onde encontram maiores oportunidades de negócio.

Já o expositor João Mussungo, afecto à câmara de agricultores e criadores do Huambo, que expõe produtos como batata rena, milho, soja, feijão, cebola, tomate, trigo e café, disse que a feira corre a bom ritmo e espera que durante os dias que decorrer se
façam bons negócios.

Os produtos estão a ser comercializados lá mesmo no recinto. A empresa de telecomunicações por satélite, Infrasat, levou à feira todo o conjunto de informações para atrair mais interessados nos seus serviços.

O gestor de vendas e marketing, Celso Inácio, disse estarem no mercado há nove anos e no Huambo há um mês e pretende expandir a sua actividade para às cidades vizinhas.

“Oferecemos serviços de telefonia e internet corporativos às grandes, médias e pequenas empresas, tudo por satélite. Neste momento lançamos um novo serviço denominado Net liga, a custo baixo, dentro deste programa, temos o serviço Net liga livre, que é um serviço mais para cybers, restaurantes, onde as pessoas podem ter a possibilidade de gerar senhas”, disse.

Referiu que a Infrasat leva o sistema de telefonia denominado “liga-liga” às zonas rurais, sobretudo onde dificilmente se consegue comunicar por via de outras operadoras.

As comunas do Sambo e Samboto, no município da Chicala-Cholohanga, já beneficiam do referido sistema, cujo preço varia entre
100, 150 e 500 kwanzas.

O pequeno inventor, Filipe Caúla, aproveitou a feira da “Dipanda” para apresentar o seu talento. A sua banca é a mais visitada pelas crianças, que admiram o seu trabalho.

O expositor, vindo do município do Bailundo, montou em miniatura, três helicópteros que sobrevoam com comandos, uma moagem, um carrossel, um pequeno aparelho de ar condicionado para arrefecer a coberta em tempos de calor.

O rapaz, de 14 anos diz usar lata, dínamos, pilhas e baterias para montar as suas invenções. Filipe afirmou que dos helicópteros originais usa apenas as hélices, que não consegue. Montou igualmente uma pequena emissora, cujo canal de frequência é 103.03, na qual emite apenas música.

Novos desafios
O governador Kundi Paihama, que visitou a feira, disse que, apesar da dificuldade e limitação financeira que se vive, a organização ultrapassou as expectativas sendo notável a alegria dos participantes.

“Começamos com a feira municipal da Caála, onde boa parte da população participou. Estamos aqui, com a feira da Dipanda, e o próximo ano vamos acolher a Expo/Huambo”, disse o governador.

Na ocasião, o director provincial da Câmara de Comércio e Indústria, Gildo Coelho, anunciou que a província, acolherá em Junho de
2016, a Expo/Huambo. Actualmente, revelou, estão a trabalhar na infra-estruturação do espaço, tendo em conta a dimensão da actividade.

“Estamos a trabalhar numa série de meios, a serem preparados, no sentido de ver se até finais de Junho de 2016, a Expo/Huambo
possa arrancar”, disse.

Gildo Coelho referiu que a Câmara de Comércio e Indústria já estabeleceu contacto com alguns países que estão dispostos a vir ao Huambo e expor os seus produtos. O evento tem lugar na antiga Feira Internacional de Nova Lisboa (FINOL), actual “Feira do partido”.

A província do Huambo tem de área 35.771 quilómetros quadrados e a sua população aproximada é de 2,3 milhões de habitantes.