Novecentos e vinte e quatro milhões, 508 mil e 650 kwanzas é o valor que será aplicado, em nove meses, para o tratamento e estancamento de uma ravina localizada no bairro 4 de Fevereiro em Mbanza Kongo, Zaire.
O acto de consignação e adjudicação da obra de subordinação central, a ser executada pela empresa “MOTA-ENGIL-ANGOLA”, decorreu na terça-feira e foi presidido pela vice-governadora para o sector técnico e infra-estruturas, Ângela Diogo.
A ravina que ameaça “engolir” uma rua e algumas residências na periferia, localiza-se na zona 2 do referido bairro e tem uma extensão de quase mil e 200 metros.
O engenheiro da obra, Pedro Manuel Castro disse, na ocasião, que os trabalhos irão incidir numa área total de cerca de 24 mil metros quadrados, com uma estimativa de movimento de terras de aproximadamente 250 mil metros cúbicos.
O arranque formal dos trabalhos será assegurado por 50 técnicos, 40 dos quais a serem recrutados localmente, está previsto para dentro de um mês e meio, após o acondicionamento de máquinas e outros meios a serem utilizados.
A fonte disse, por outro lado, que além do período de execução de nove meses, o contrato prevê também um prazo de monitoria da obra concluída por um ano.
Assinaram o contrato de consignação e adjudicação, o representante da Direcção Nacional das Obras de Engenharia (DNOE) do Ministério das Obras Públicas, Carlos Manuel Antunes, e pelo director executivo da MOTA-ENGIL-ANGOLA, José Barros Rodrigues.
No mesmo acto foi feita também a consignação e adjudicação do projecto de estancamento de uma ravina que ameaça destruir o mercado municipal do Nóqui.