Um novo modelo de formação de técnicos agro-pecuários vai nos próximos tempos, ser implementado pelo Executivo angolano em parceria com a França, no Instituto Técnico Profissional do Tchivinguiro, municipio da Humpata.
Para a concretização de tal desiderato, o embaixador de França em Angola, Sylvain Itté, acompanhado pelo secretário de Estado para o Ensino técnico-profissional, Jesus Joaquim Baptista e os directores do Ministério do Ensino Superior e do Ministério da Agricultura, em conjunto com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) trabalharam no passado dia 3 do mes em curso no Tchivinguiro.
O embaixador de França em Angola, Sylvain Itté, garantiu que o seu país vai participar de forma activa no programa de revitalização e redinamização do processo de formação de técnicos nas áreas da agro-indústria, formados pelo Instituto Técnico Agrário do Tchivinguiro, município da Humpata, província da Huíla.
Explicou que no âmbito da visita a França em Maio de 2018, o Presidente João Lourenço teve a oportunidade de visitar o grande liceu agrícola de Toulouse-Auzeville, exprimindo o desejo que tal modelo de excelência na formação técnica agrícola pudesse ser reproduzido em Angola.
Com a visita, referiu Sylvain Itté, abriu-se uma nova era nas relações entre os Ministérios da Agricultura dos dois países, que foi reconfirmada na recente visita do ministro da agricultura de França à Angola, no inicio do mês de Abril, onde decidiu-se nas varias reuniões, com as autoridades angolanas, trabalhar em conjunto na formação profissional, sobretudo na área da agro-industrial.
“Na recente visita a Angola, o ministro francês da Agricultura e da Alimentação, Didier Guillaume também reiterou a vontade de França de cooperar en prol do desenvolvimento da formação com o âmbito técnico-profissional agrário entre França e Angola. Para a realização de tal projecto, no objectivo de oferecer os mesmos padrões de qualidade observados em França, o Instituto técnico superior de Tchivinguiro poderia vir a reunir as condições perfeitas », referiu.
O Centro de Tchgivinguiro, salientou, por ser antigo e famoso na formação profissional na área agricola os dois ministros decidiram ser um dos pontos fulcrais da cooperação e da ajuda que a França vai prestar para que o centro do Tchivinguiro, que já foi uma das grandes referências na formação de quadros no passado, a mística seja resgatado para os profissionais da agricultura e indústria.
“A minha visita deu para ver o actual estado onde a direcção, professores e estudantes apresentarem as dificuldades que vão permitir criar mecanismos de se implementar as acções que visam o inicio de uma nova era para este estabelecimento de ensino técnico e profissional”, disse.
“Dentro de dois meses vamos ter uma missão de peritos da Agencia Francesa de Desenvolvimento, para em conjunto com o Ministério da Agricultura e da Educação trabalhar nos projectos onde vão se incidir a implementação de acções a serem efectivadas no Instituto Técnico do Tchivinguiro”, anunciou.
O diplomata referiu que o secretário de Estado da Educação angolano fez parte da visita, o que vai ajudar na definição das necessidades do ponto de vista da pedagogia, formação, reabilitação do complexo e das fazendas.
Explicou que a realidade é o facto de que, alem do complexo, o Instituto Técnico do Tchivinguiro na Huíla, dispõe de quatro fazendas com mais de 14 mil hectares, que ao serem reabilitadas, vão permitir ter condições mais adequadas e necessário para uma formação dos técnicos e engenheiros agro-industriais de forma efectiva.
“Vai se criar mecanismos para a efectivação do projecto que vai contribuir significativamente na formação de quadros rumo ao desenvolvimento do país”, disse, acrescentando que a França não vai financiar tudo, mas participar de forma efectiva para que o funcionamento da instituição seja cada vez melhor.