A empresa de águas e saneamento da província do Huambo arrecadou de Janeiro a Junho deste ano, cinquenta e cinco milhões, 342 mil e 308 kwanzas, correspondendo a um aumento de 16 milhões, 602 mil e 692 kwanzas que em igual período em 2017.
O facto foi confirmado na quinta-feira, em declarações à Angop, pelo presidente do conselho de administração da empresa de água e saneamento, Adolfo Elias Gomes, ao mostrar-se satisfeito com tais receitas.
Apesar deste aumento de receitas, admitiu haver muitos consumidores que se furtam do pagamento, facto que tem gerado avultados prejuízos para a empresa, uma vez que condiciona a manutenção e melhoria do sistema de abastecimento.
Disse, no entanto, que a quantidade de água fornecida diariamente pela empresa, 1.360 metros cúbicos por hora, ainda não satisfaz a demanda dos consumidores das cidades do Huambo, Caála e Lossambo.
Adolfo Elias queixou-se, também, do desperdício de água e a retirada de contadores de consumo, facto que obrigou a criação de equipas de fiscalização para cadastro dos consumidores, colocação de contadores e banir os desperdícios.
O Huambo tem uma área de 35.771 quilómetros quadrados, com uma população estimada em 2.301.524 habitantes.
A província conta com 11 municípios, nomeadamente Huambo, Bailundo, Ekunha, Caála, Catchiungo, Londuimbale, Longonjo, Mungo, Tchicala-Tcholoanga e Tchindjenje.