O governador da província
do Kuando- -Kubango, Higino Carneiro, deu a conhecer
esta semana, em Menongue, a implantação, a partir
desta sexta-feira, 2, dos Serviços
de Migração e Estrangeira em algumas zonas da faixa Sul, com a inauguração de três postos,
visando garantir melhor controlo
naquela zona fronteiriça com a República da Namíbia.
Higino Carneiro informou que, numa primeira fase, estes postos estarão implantados nas zonas do Bicu, conhecida por Sissué, do Buabuata e Mussuco, município do Dirico, os quais considerou
como de grande importância,
uma vez que permitirão maior combinação de esforços entre a Polícia de Guarda Fronteira e as autoridades aduaneiras.
Para o governador, a existência
dos referidos serviços permitirão
que a situação de imigração nesta zona “com o país irmão da Namíbia” será mais ainda controlada.
Higino Carneiro lembrou que, do lado da Namíbia, existem
postos de observação, daí que a colocação das infra-estruturas
do lado de Angola permitirá uma maior combinação de esforços
entre os dois países.
O governador garantiu, por outro lado que exercício semelhante
será concretizado em breve na fronteira Leste, com a Zâmbia, uma vez que decorrem discussões no âmbito da comissão de defesa e segurança entre os dois países, para o controlo que se pretende ter, principalmente, na povoação que está ou vive defronte à sede municipal do Rivungo, limítrofe com o referido país.
“É verdade que não temos efectivos para tudo, mas que vai ocorrer na província a formação de mais elementos para a Polícia de Fronteira”, deu a conhecer o dirigente.
De acordo com Higino Carneiro,
a estratégia de formação
de efectivos para a Polícia de Guarda Fronteira vai ajudar não só a melhorar o completamento
das diferentes unidades que se posicionam nas suas fronteiras
(Sul e Leste), mas também a organização funcional e operacional
dos próprios comandos, no sentido da acção de fronteira ser mais visível e eficaz.
O governador tem frisado que as fronteiras Leste e Sul da província,
com a Zâmbia e Namíbia,
respectivamente, precisam de uma atenção para criação de condições adequadas, que permitam
um exercício pleno da actividade
fronteiriça.
Fronteiras
ganham postos
As novas infra-estruturas de controlo
vão permitir maior defesa do território a partir da província do Kuando-Kubango
vigasas da purifiurifiurifiurifiurificação
vigasas da purifiurifiurifiurifiurificação
M
ercados visam combater a pobreza
vigasas da purifiurifiurifiurifiurificação
As obras da primeira fase do centro de distribuição de água de Ondjiva, capital da província do Cunene, vai terminar no fim do mês de Agosto, a informação foi avançada recentemente na Angop pelo fiscal da empreitada, Jorge Areias.
O projecto teve um orçamento de 220 milhões de dólares, a obra da construção da conduta de água Xangongo/Ondjiva foi lançado em Novembro de 2008 e prevê beneficiar
284 mil pessoas das localidades
de Xangongo, Humbe, Môngua, Missão da Môngua, Mbulunganga, Ondjiva, Oihole, Hungo, Chiedi e Anhanga.
Segundo o responsável da obra fez saber que o projecto está ser implantado num espaço de 100 metros quadrados com a construção
de quatro reservatórios com capacidade de mais quatro mil metros cúbicos cada.
De acordo com a fonte, o projecto
teve inicio em Janeiro do corrente ano, está subdividido em duas fases e trabalha-se no enchimento das bases, bem como na estrutura dos reservatórios cujos trabalhos decorrem a ritmo acelerado.
A empreitada enquadra-se no projecto de construção da conduta
de abastecimento de água à cidade de Ondjiva, através do rio Cunene em Xangongo.
D
istribuição de água melhora no Cunene
Obras da primeira fase do centro de abastecimento terminam no fim deste mês na cidade de Ondjiva
Quatro milhões e 500 mil kwanzas
é o valor investido na construção
de um mercado rural na localidade do Sumpi, 30 quilómetros
a Norte da cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, no quadro do programa de combate à fome e à pobreza.
A administradora municipal de Mbanza Kongo, Isabel Nlandu Morena, que deu a informação à imprensa, no acto da inauguração
do empreendimento comercial,
sublinhou que mercados idênticos estão em construção em diversas localidades do município
sede.
Assegurou ser uma preocupação
expandir mercados rurais em diversos pontos da província, para proporcionar condições condignas
aos comerciantes locais.
N
ovo mercado rural
Empreendimento comercial construído no Zaire
enquadra-se no âmbito do actual combate à pobreza que está a ser levado a cabo em várias localidades
Kuando kubango
cunene
zaire