Uma conferência sobre a Biodiversidade de Angola foi realizada na última terça-feira, em Luanda, numa realização da Fundação Kissama.
A conferência serviu para a apresentação do estado geral da biodiversidade de Angola, com abordagens de questões relacionados com a biodiversidade terrestre e marinha, a diversidade faunística e florística, a história paleontológica de Angola e o papel das colecções de museus e herbários na investigação científica.
De acordo com o director executivo da Fundação Kissama, Wladimir Russo, que avançou a informação à Angop, durante o evento foram igualmente apresentadas as oportunidades de investigação, com vista a uma melhor conservação da biodiversidade em Angola.
A conferência foi dividida em 4 painéis, nomeadamente: um passeio virtual sobre Angola, um mosaico de cores e o ícone nacional, a herança por descobrir e construindo pontes entre o passado e o futuro.
Nesta perspectiva incluiu-se também o lançamento do livro “Biodiversidade Angola ciência e conservação: Uma síntese moderna”, cujo prefácio foi assinado pelo Presidente da República, João Lourenço, como resultado de dois anos de trabalho de 46 colaboradores de dez países.
Trata-se de uma síntese moderna que identifica as lacunas mais importantes do conhecimento, apontando caminhos de trabalho para o futuro e, por outro lado, demonstra de forma inequívoca que Angola é um dos países com uma das maiores diversidades do continente africano.