O Ministério da Energia e Águas (MINEA) pretende acelerar o programa de conversão das centrais diesel para gás em toda a extensão do território nacional. O IX conselho consultivo do Minea, realizado em Luanda, recomenda, igualmente, a Empresa Pública de Produção de Electricidade (PRODEL) prosseguir com o desenvolvimento de projectos de produção de energia a partir de fontes renováveis e implementação do programa de hibridização das centrais térmicas com a instalação de módulos solares visando a minimização de custos de exploração e redução da utilização do diesel. “Enquanto Empresa de Produção de Electricidade com vista a melhoria dos serviços a prestar nas zonas urbanas, periurbanas e rurais, deverá assumir a geração distribuída e de igual modo a distribuição e comercialização para garantir o retorno dos custos de produção”, sustenta a fonte. Ao Instituto Regulador dos Serviços de Electricidade e de Água (IRSEA), lhe foi recomendada propor a fixação de tarifas diferenciadas que permitam uma melhor e maior arrecadação de receitas para a PRODEL, diante da matriz energética que se pretende para o país. Energias renováveis
Os participantes recomendaram a participação activa do sector privado na implementação de projectos de energias renováveis, sendo que deverá ser necessário a regulamentação específica. Para garantir a sustentabilidade dos projectos construídos a nível das energias renováveis, nomeadamente as soluções solares e sob gestão das autoridades locais, deverão ser criados mecanismos que visam a manutenção dos mesmos de forma a garantir a vida útil. Para o efeito, urge desenvolver acções de formação do pessoal encarregue pela gestão e manutenção dos equipamentos. A fonte acrescenta que os aproveitamentos do Gove, Chiumbe Dala e Lomaum estão a ser explorados abaixo da capacidade nominal de geração “por serem a fio de água ou não terem caudais médios anuais garantidos”. “Deverão ser encontradas soluções para optimizar estes activos que poderão passar pela construção de aproveitamentos a montante para regularização dos caudais, no caso, do Lomaum e do Chiumbe Dala”. Para o caso do Gove deverá ser identificada a solução que poderá passar pelo desassoreamento. O Gabinete de Estudo Planeamento e Estatística do Minea indica que a capacidade total de energia instalada, o somatório da hídrica e gás corresponde a cerca de 75 por cento da produção reduzindo a dependência da produção de energia com o recurso ao diesel. Os participantes recomendaram que o Instituto Nacional de Recursos Hídricos (INRH) e o Gabinete Para a Administração da Bacia Hidro-eléctrica do Cunene (GABHIC) devem elaborar estudos pormenorizados das demais bacias existentes no país. O conselho recomenda que a Rede Nacional de Transporte de Electricidade (RNT) e o Gabinete de Aproveitamento do Médio Kwanza (GAMEK) devem continuar a desenvolver a implementação dos projectos de interligação dos sistemas Centro, Sul, Leste e Cabinda, para a transferência da capacidade de geração a nível do sistema Norte. Foi também recomendada a instalação de contadores para a facturação de pagamentos justos. Os objectivos definidos no Plano de Desenvolvimento 2018-2022, assim como o relativo a Angola Energia 2025, tendo em atenção que os estudos a realizar “terão que ser flexíveis em função da evolução e realidade no momento em que forem implantados serão, também prosseguidos”.

Taxa de cobertura
No evento, o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, disse que o país terá uma taxa de cobertura de electricidade média de 50 por cento em 2022, sendo que em cada província será superior a 25. A produção de energia com recurso a barragens hidroeléctricas e a centrais gás representa actualmente uma quota de mais de 3.700 Megawatts MW) do total de mais de 4.409 instalados, resultado dos avultados investimentos realizados nos últimos 10 anos. O crescimento do sector está a permitir a expansão de energia nas zonas urbanas, sedes municipais e áreas rurais, com o objectivo de passar de 73 para 116 municípios contemplados até 2022, mais de 60 por cento, que permitirá uma cobertura nacional de 50. Relativamente a Lauca, segundo o governante, para além de construída as principais interligações com as regiões Norte e Centro, no final de Junho, a entrada em funcionamento da quinta turbina permitiu atingir 1.670 Megawatts, dos 2.070 previstos com a sua conclusão, ainda para este ano.