O Instituto Nacional de Inovação e Tecnologias Industriais (INITI) adstrito ao Ministério da Indústria está a desenvolver desde o princípio deste ano em todo o país, a capacitação de empresários, qualificação de trabalhadores do ramo, disseminação de boas práticas e contribuições para garantir a transferência de conhecimentos para as empresas.
A representante do (INITI) Sara Epalanga que falava durante um Workshop realizado em Luanda subordinado aos temas “Gestão e Ambiente sustentável na Indústria”, e “Recuperação e aproveitamento sustentável dos Resíduos”, referiu que está em curso a implementação de um conjunto de acções como o (PROPÃO), que visa a melhoria e competitividade do sector industrial da panificação e pastelaria de Angola.
De igual modo, o projecto (FOAR), uma parceria e cooperação com uma instituição Argentina com suporte financeiro da mesma, com o objectivo de fortalecer as competências do (INITI) em matéria de inovação, melhoria contínua de processo de gestão e de produção para melhorar a produtividade e inovação das Médias e pequenas indústrias.
Consta dos projectos em curso segundo a fonte, um outro, denominado (Impulso), para a descoberta de novos talentos para a indústria, que procura a integração de jovens recém-licenciandos, sem experiência profissional, das áreas de engenharia e economia. Assim como gestão e contabilidade na indústria, através de estágios, que permitem dotar capacidades aos jovens para o primeiro emprego.
Sara Epalanga, acrescentou que o (INITI) está a trabalhar na dinamização e reestruturação dos Centros de formação tutelados pelo Ministério da Indústria, contribuindo com a formação de profissionais habilitados, e certificados em profissões que respondam às necessidades da indústria. Incluindo o programa “A nossa Indústria”, que se dedica a organizar os que nas empresas do ramo estejam abertas para receber visita de estudantes.
“É fundamental que os gestores das indústrias criem políticas de gestão e sustentabilidade ambiental, seja incentivando a racionalidade de recursos limitados e a reutilização dos resíduos na sua rotina de produção ou investimento no uso consciente da matéria-prima”, disse.
Na ocasião, o representante do Ministério do Ambiente, Miguel Moreira, afirmou que a legislação prevê multas elevadas, para aqueles agentes económicos da indústria que eventualmente poluem o meio ambiente durante a execução das suas actividades.
Por isso, apela aos industrias a cumprirem com rigor e à risca as medidas que visam proteger o meio ambiente, para prevenir o país de alguns desastres ambientais.