Cerca de 2.540 lotes de terrenos serão entregues ainda este ano a cidadãos do município do Cazengo, província do Cuanza Norte, no âmbito do programa de auto-construção dirigida, anunciou, recentemente, em Ndalatando, o director do Gabinete Provincial de Infra-estruturas e Serviços Técnicos, Pindi Zacarias Dongala.
Segundo o responsável, em declarações à Angop, o projecto começou a ser implementado em Maio último, com o loteamento e delimitação dos talhões para a construção de casas, numa área de 273 hectares, no bairro São Filipe, arredores da cidade de Ndalatando, sede da província
do Cuanza Norte.
O mesmo vai beneficiar pessoas interessadas em construir moradias, com lotes de 300 a 600 metros quadrados, tendo como prioridade as famílias que vivem em zonas de risco.
Referiu que o projecto tem por objectivo estancar o fenómeno de construções desordenadas e ao mesmo tempo transferir as famílias que vivem em zonas de risco para áreas seguras.
O projecto vai contemplar também a distribuição de lotes de terras para fins agrários nas localidades das Kirimas do Meio e do Hola, bem como da Kissecula, para a transferência dos camponeses que desenvolvem actividades agrícolas nos espaços que estão a ser tomados para fins habitacionais.
“Nós vamos ceder lotes de um hectar para a colocação desses camponeses, a medida da área que ocupam ao redor da cidade, para continuarem a produzir”, disse.

Desenvolver agricultura
Esclareceu que ainda não está definida a quantidade de lotes a serem preparados para fins agrários, por não se saber o número de famílias que desenvolvem a agricultura nos terrenos que serão transformados em zonas habitacionais.
Explicou que o gabinete de infra-estruturas vai prestar apoio e acompanhamento técnico aos beneficiários dos lotes de terras para fins habitacionais, visando a observância das normas de construção.
Dados do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros apontam a existência de 6.561 famílias, num total de 27.677 pessoas, a residirem em zonas de risco no município do Cazengo que, necessitam ser transferidas com urgência, para acautelar situações de catástrofes.